28 de novembro de 2020
Campo Grande 36º 23º

Sesau não soluciona problema e cabeleireira tem casa infestada por morcegos

A cabeleireira Daniele Bento, 23, está com sua casa infestada de morcegos. De acordo com ela, há três anos mora na residência e há dois os animais invadiram o forro de sua casa. Desde o ano passado a cabeleireira entra em contato com a Sesau (Secretaria de Saúde), porém em vão.

Há um mês Daniele entrou novamente em contato com a secretaria. “Eles disseram para mim que não tem nada haver com o problema, que eles não podem fazer nada. Mandaram eu jogar naftalina ou formol no forro da casa”.

A moça explica também que a Sesau teria dito que ela deveria capturar um morcego, guarda-lo em um balde e após entrar em contato com a secretaria para que fossem tomadas as devidas providências.

Daniele tem uma filha de quatro anos. Ela tem medo que sua filha possa adquirir alguma doença, pois está em contato com os morcegos.  “Vou levar minha filha tomar vacina contra a raiva, também vou tomar a vacina porque é muito perigoso”.

A secretaria teria dito que a solução para o problema só se resolveria no momento em que ela subisse no forro de sua casa e tapasse o buraco que possibilita a entrada dos morcegos.

A casa da cabeleireira tem o chão coberto de fezes do animal e segundo ela, a situação piora quando chove, pois o cheiro de urina fica muito forte.  “Se ninguém faz nada comigo, não vão resolver o problema de outras pessoas. Se não me atendem, não vão atender os outros”.

O site MS Notícias entrou em contato com a Sesau e a secretaria informou que o procedimento padrão é que no momento da denúncia é gerado um protocolo e encaminhado para a CCZ (Centro de Controle de Zoonose), para que eles entrem em contato com a denunciante.

Daniele afirma que nenhum protocolo foi passado a ela, ninguém visitou a residência para tomar conhecimento da situação e o único contato da secretaria foi para que fosse jogada a naftalina e o formol no forro da casa.

Tayná Biazus