15 de junho de 2021
Campo Grande 28º 15º

Banco oficial e fundos internacionais reforçam caixa da Águas Guariroba

A- A+

Não são apenas os consumidores de água e usuários do sistema de saneamento em Campo Grande as únicas fontes de recursos apurados pela Águas Guariroba em Campo Grande. A empresa recorre à rede bancária e a fundos de financiamento para suprir seus planos de investimento. Foi o que ocorreu em 2013, quando a Agea – holding do Grupo Equipav, controlador acionário da empresa – obteve junto ao GIC (Fundo Soberano de Cingapura) R$ 300 milhões para investir em projetos de saneamento básico e na planilha de expansão da companhia.

No mesmo ano foi assinado um contrato de R$ 170 milhões com a Caixa Econômica Federal para expansão e melhorias no sistema de água e esgoto da capital de Mato Grosso do Sul. O contrato foi assinado pelo então diretor-presidente da Águas Guariroba, José João Fonseca; o prefeito Nelson Trad Filho; e o superintendente da CEF, Paulo de Siqueira Antunes. O exercício foi fechado com a empresa comemorando um feito: ter atingido 73% de cobertura em rede de esgoto, meta do Programa Sanear Morena II. O programa havia sido lançado em 2006 com investimentos de R$ 198 milhões para cobrir 50% da população nessa etapa. A meta foi superada e a cobertura chegou a 58%. Os recursos também contaram com a injeção de financiamento da CEF.

A Aegea Saneamento está ramificada por 36 municípios de sete estados brasileiros e possui uma rede de cobertura que atende 2,4 milhões de pessoas. Nesses estados se concentram pouco mais de 50% do PIB brasileiro. Além da Águas Guariroba, em Campo Grande, fazem parte da rede cinco municípios do Rio de Janeiro, 23 de Mato Grosso, dois de São Paulo (Piracicaba e Matão), dois de Santa Catarina (Penha e São Francisco do Sul), dois do Pará (Novo Progresso e Barcarena) e um de Rondônia (Buritis). No total, até o ano passado eram oito as detentoras de concessões para administrar serviços de abastecimento nesses municípios.