11 de maio de 2021
Campo Grande 34º 18º

Bernal proíbe Alex do PT de falar sobre articulações políticas

A- A+

Após declarar publicamente que o vereador Alex do PT não era o seu porta-voz e depois alegar que a afirmação foi um problema de interpretação por parte da imprensa, o prefeito Alcides Bernal (PP) proibiu o líder de sua base aliada  na Câmara de Vereadores de se pronunciar sobre as articulações políticas feitas para garantir sua governabilidade.

Procurado pela reportagem para confirmar informações sobre os novos aliados, Alex afirmou que o secretário de governo e relações institucionais, Pedro Chaves, é o único encarregado de fazer todos os anúncios referentes ao assunto. “A decisão é do prefeito e eu tenho que acatar como subordinado que sou. Estou aqui para cumprir determinação. Não estou constrangido nem não estou chateado, mas como se diz, temos que assumir essa postura”, informou.

Segundo o vereador, o momento é de fortalecer a imagem de Pedro Chaves e impedir um desgaste dentro da base aliada. “Estou impedido de me manifestar. Não tenho condições de falar absolutamente nada. O secretário que determina a parte de política. Vou ser censurado e vai surgir uma crise. Temos que evitar rota de colisão. Vou trabalhar do jeito que estou trabalhando sem qualquer tipo de afronta, ou que seja dentro da visão de que estou atropelando as coisas”, acrescentou.

A crise surgiu após Pedro Chaves anunciar que tinha 14 vereadores na base enquanto Alex só garantia nove. Na mesma semana, o secretário voltou atrás e afirmou ter 12 aliados, porém conseguiu lembrar-se apenas de 11 e prometeu informar o 12° vereador depois.

Ele citou os petistas Alex, Zeca e Ayrton Araújo, Cazuza (PP), Luiza Ribeiro (PPS), Gilmar da Cruz (PRB), Paulo Pedra (PDT), Edson Shimabukuro (PTB), Carlão (PSB), Jamal (PR) e Alceu Bueno (PSL). Chaves até o momento não informou quem é o 12° integrante da base de Bernal.

Diana Christie