29 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

Cassação de Alceu Bueno favorece Bernal dentro da Comissão Processante

O vereador Edil Albuquerque (PMDB), presidente da Comissão Processante, esclareceu dúvidas que surgiram sobre a continuidade do trabalho da Comissão diante da cassação do vereador Alceu Bueno (PSL). Segundo Edil, sem a nomeação de novo membro não existe a possibilidade da Comissão emitir parecer, seja pela cassação ou pelo arquivamento. bernal e edil Outro ponto do qual a Processante depende para concluir o trabalho, é a nomeação dos vereadores que assumirão nos lugar dos cassdos: paulo Pedra (PDT, Thais Helena (PT), Delei Pinheiro (PSD) e Alceu Bueno (PSL). "Não podemos votar o pedido de cassação no Plenário, caso seja efetivado, sem que a composição completa da Casa de Leis", explica Edil. Desta forma, o prazo para que o mistério acerca de da possível cassação de Bernal se estende ainda mais, visto que os vereadores casasdos podem recorrer da decisão e que o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) precisa refazer a contagem dos votos válidos em 202 para divulgar o nome dos próximos a assumir uma cadeira na Câmara de Vereadores da Capital. Edil esclareceu que, no caso da composição da Processante, a saída encontrada pelos vereadores, no momento, é organizar o sorteio do novo membro. Segundo, o presidente da Comissão Processante, os critérios para sorteio já foram definidos. "Faremos o sorteio entre as bancadas que possuem dois ou menos vereadores, é uma forma justa", afirma Edil. Pela lógica da Processante, na composição de hoje, participariam do sorteio os partidos: PPS, de Luiza Ribeiro, do PP, de Chocolate e Cazuza, do PTB, de Shimabukuro, do SDD, de Elizeu Dionísio, do PSB, de Carlão e do PR, de Grazielle Machado e Dr. Jamal, DEM, de Airton Saraiva, PRB, de Gilmar da Cruz e PSC, de Juliana Zorzo e PSDB, de João Rocha e Professora Rose. Com isso, Bernal está em vantagem, já que possui a maioria entre esses partidos. Heloísa Lazarini e Alan Diógenes