28 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 22º

Com laudo da Polícia Federal sobre Solurb em mãos, Bernal pretende cancelar contrato

A- A+

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), anunciou nesta terça-feira (1), que pretende suspender contrato entre Prefeitura de Campo Grande e Consórcio CG Solurb, responsável pela coleta e tratamento de lixo da Capital.

A decisão, segundo Bernal, vai depender da análise do relatório da Polícia Federa apresentado na sexta-feira (27) que concluiu que empresa sequer tinha capital social mínimo para participar da licitação 066/2012. 

"A polícia federal encaminhou um ofício com laudo que mostra que a Solurb não tinha capital mínimo suficiente para vencer a licitação (leia aqui). Vou encaminhar à Procuradoria Geral do Município para saber quais serão as providências a serem tomadas. Temos uma auditoria que está analisando as notas fiscais, acredito que esse relatório será entregue na sexta-feira. Se houver irregularidades teremos embasamento jurídico para cancelar o contrato", diz Bernal.

A Solurb venceu licitação que lhe garante concessão do serviço por 30 anos, no valor total de R$ 52 milhões. Desde que venceu certame, empresa é alvo de denúncias e investigações de irregularidades e contrato com Município, na gestão de Gilmar Olarte, foi aditivado algumas vezes e valores saltaram de R$ 4 milhões mensais para R$ 9 milhões nos últimos meses.

A Polícia Federal concluiu em relatório preliminar da Operação Lama Asfáltica, que verdadeiro dono da Solurb, é empresário João Alberto Krampe Amorim dos Santos, dono da Proteco Construções Ltda. A empresa, no entanto, está registrada em nome de Fernando Garcia, dono da Financial, e Luciano Dolzan, que é genro de Amorim, e dono da LD Construções.