25 de setembro de 2020
Campo Grande 36º 22º

Coringa vai pedir ao MPE que acompanhe destinação de PAC para Cidade Morena

O vereador Coringa (PSD) informou que irá hoje à tarde ao MPE (Ministério Público Estadual) para solicitar ao órgão que acompanhe a aplicação das verbas do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) destinadas à pavimentação asfáltica e drenagem do bairro Cidade Morena – região sul de Campo Grande.

“Vou às 14h entregar no Ministério Público um requerimento para acompanhar a verba para a Cidade Morena do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Lagoa. A verba já está depositada na Caixa Econômica Federal e eu quero saber por que ainda não foi usada, se tem juros”, explicou.

Segundo o vereador, desde a administração passada o montante está disponível para as obras. “Quero saber se esse dinheiro foi perdido ou se a prefeitura vai usar recurso próprio. Desde a época do Nelsinho (Trad, ex-prefeito) eles falam que iam fazer. Com minha ida ao Ministério Público quero que eles estejam em cima para garantir que a promessa seja cumprida”.

Em reunião com o vereador Chiquinho Telles (PSD) na última sexta-feira, o titular da Seintrha (Secretaria de Infraestrutura, Transporte e Habitação), Semy Ferraz, garantiu que a obra ficará pronta até o final do semestre. Conforme o secretário, o trecho começa a ser asfalto daqui a 45 dias, logo após o fim de obras para estabilizar a erosão na região da avenida Gury Marques, além de estabilizar a erosão na Via Morena.

Sem essas correções, a Caixa Econômica Federal não libera o saldo de contrato de R$ 2 milhões que será utilizado para a as obras da Via Morena. De acordo com Semy, o proprietário da empresa contratada para realizar essas duas obras estruturais faleceu em 2012 e com isso vários imprevistos ocorreram paralizando o serviço.

Reunião com Pedro Chaves – Coringa se reunirá às 17h com o secretário de governo, Pedro Chaves. Ele pretende levar cópia de suas emendas que foram vetadas pelo prefeito Alcides Bernal (PP) e pedir explicações. Na sequência, o vereador tentará uma reunião com o próprio chefe do executivo.

“Eu quero entender porque ele (Bernal) vetou algumas obras importantes pra Campo Grande, inclusive a do hospital para dependentes químicos. E vou levar todas as minhas emendas porque para mim não está claro o veto. Vou cobrar as cinco que escolhi para acontecer esse ano, sendo duas positivas e três como sugestão. Mais uma vez o prefeito não cumpriu com a promessa feita à Câmara”, reclamou.

As prioridades do vereador são a construção do hospital para dependentes químicos, pavimentação asfáltica nos bairros Nova Jerusalém e Moreninha IV, construção de praça pública no bairro Coelho Machado e reforma na USB (Unidade de Saúde Básica) do Los Angeles.

Diana Christie