10 de agosto de 2020
Campo Grande 32º 19º

Impaciente, base Andrezista descarta PT e quer plano B

Se nos próximos dias a pré-candidatura do ex-prefeito Nelsinho Trad não reverter a sensação de fragilidade que vem preocupando o PMDB e seus aliados, não vai demorar para que o governador André Puccinelli lance mão do “Plano B” para ter um candidato caseiro para disputar sua sucessão. Diante da possibilidade cada dia mais remota de fazer uma composição com o senador Delcídio Amaral, pré-candidato do PT, o governador vê agigantar-se a insegurança dos aliados com o desempenho nada convincente de Nelsinho e as sucessivas pesquisas de intenção de voto que ratificam a folgada liderança do petista Delcídio Amaral.  O “plano B” peemedebista é a vice-governadora Simone Tebet, agarradíssima ao projeto de candidatar-se ao Senado e seguir a trilha vitoriosa do pai, Ramez Tebet. Quando morreu, em novembro de 2006, Ramez deixou um rico legado de participação em momentos especiais da vida pública. No Estado foi vice-governador, governador, deputado estadual e superintendente da Sudeco. Era, em seu segundo mandato senatorial, um dos mais festejados parlamentares do País, com vigorosa presença no cenário político como presidente do Congresso Nacional e da CPI do Judiciário, entre outras destacadas missões. Aos 43 anos, acrescida do emblemático apelo de seu sobrenome, Simone tem uma ficha pessoal que a credencia para concorrer a voos mais altos na vida pública. Tem luz própria projetada pelas fontes de sua juventude, da militância social como liderança de ponta no peemedebismo e da experiência acumulada em três mandatos (um de deputada estadual, que cumpriu pela metade, e dois de prefeita, em sua cidade natal, Três Lagoas). Antes de assumir a intenção de candidatar-se a senadora, até meados do ano passado Simone aceitava que seu nome figurasse entre as opções do PMDB para a sucessão de Puccinelli. Tinha, então, o aval declarado do próprio governador para disputar politicamente essa indicação com Nelsinho Trad. E quando Puccinelli, ao dar as cartas da pré-temporada sucessória, batizou a pré-candidatura do ex-prefeito campo-grandense, a Simone não restou outra alternativa senão abraçar o projeto de brigar pelo Senado. Ainda assim, o governador não a descartou de vez, com declarações que, implicitamente, faziam ver uma certa desconfiança em relação ao voo de Nelsinho Trad. Edson Moraes