01 de outubro de 2020
Campo Grande 41º 24º

Jerson Domingos enxerga dificuldade em concretização de aliança PT e PSDB no Estado

O deputado estadual Jerson Domingos (PMDB) fez uma breve análise sobre a aliança recém anunciada entre PT e PSDB para disputa ao governo do estado em Mato Grosso do Sul. Segundo Jerson o casamento entre petistas e tucanos não deverá sr avalizado pelas executivas nacionais diante do perigo que a eleição do atual deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) pode representar para o governo Dilma Rousseff (PT) caso a presidente se reeleja.

"Vejo dificuldade de avalização porque governo federal não tem interesse em eleger um senador da oposição no Estado. Existem as convenções de junho e até lá muitas coisas podem acontecer", afirma. Jerson, no entanto, não perdeu a oportunidade de deixar claro que, caso a aliança  seja vetada, o PMDB ainda pode ser o novo parceiro do PT. Jerson garantiu que ele, o governador André Puccinelli (PMDB) e o senador Delcídio do Amaral (PT) ainda estão conversando. "Eu particularmente gostaria dessa aliança, mas depende de uma disposição do PT. As conversas nunca deixaram de existir e o senador nunca disse não querer uma aliança com PMDB. Até porque seria cômodo reproduzir no Estado a aliança nacional", analisa Jerson.

Para o deputado, a aliança seria positiva para ambos os partidos e para população diante do preparo dos pré-candidatos envolvidos nessa união. "O senador Delcídio tem larga experiência e Andre é um candidato (ao Senado) indiscutível para os que representam", afirma. Jerson voltou a defender e elogiar o senador Delcídio do Amaral e garantiu que a cassação do prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) não deve se refletir negativamente sobre a candidatura de Delcídio ao governo. "Não vejo reflexo porque Delcidio nunca teve compromisso com Bernal, o PT foi quem apoiou o Bernal no segundo turno e a culpa não pode ser jogada em cima do senador. Acredito que independente de quem fosse o prefeito, Delcídio iria apoiar e por querer melhor para Campo Grande."

Heloísa Lazarini e Tayná Biazus