04 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 18º

Líder do prefeito coloca cargo à disposição

Diana Christie e Heloísa Lazarini

Durante uma reunião tensa entre integrantes do PT e o prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP), o líder do prefeito na Câmara Municipal, vereador Alex do PT colocou o seu cargo a disposição. O encontro aconteceu ontem à noite para discutir os próximos passos do prefeito agora que ele enfrenta uma comissão processante que vai investigar possíveis irregularidades em sua administração.

De acordo com informações apuradas pelo MS Notícias, o clima esquentou quando o prefeito acusou o PT de esfaqueá-lo pelas costas. Alex ficou indignado com a insinuação de traição e por ter recebido a informação de que Bernal estaria usando o nome de Delcídio do Amaral (PT) para tentar conquistar o apoio do governador André Puccinelli (PMDB).

Bernal admite que a reunião foi “densa”, mas nega que a entrega do cargo pelo vereador Alex tenha sido gerada por causa de uma discussão. “Ele fez uma espécie de ‘mea culpa’ (minha culpa) e colocou à disposição a liderança. Ele fez isso porque a crise é constante”, afirmou o prefeito.

Segundo o chefe do executivo municipal, foram discutidas soluções e alternativas para conquistar um maior apoio à sua administração. “A reunião foi bem. Fizemos ponderação a respeito do que está acontecendo. O PT está demonstrando a sua preocupação em não desgastar a imagem do Delcídio (pré-candidato ao governo do Estado). Também não desgastar o próprio PT que tem uma história eleitoral muito boa. Estão preocupados com essa situação, mas estão vendo que a crise não é de ordem legal e nem de ordem administrativa, mas de ordem politica”, declarou.

O prefeito revelou ainda que o PT exigiu melhorias no diálogo com o PSDB, pois o partido é importante para o projeto político do PT e garantiu que vai conversar com o senador Reinaldo Azambuja (PSDB), apesar das ressalvas, afinal o secretário municipal de educação José Chadid foi expulso do partido por participar de sua administração.

Jogando dos dois lados

Como mais uma tentativa de se manter no poder, Bernal procurou Puccinelli para ganhar o seu apoio político em uma reunião institucional que aconteceu na quinta-feira passada. Segundo o governador, sempre que o pepista o encontra tenta negociar a sua ajuda numa tentativa frustrada de neutralizar a oposição. “Toda vez que nos encontramos o Bernal faz isso. Eu não fiz nenhum compromisso com ele”, afirmou.

Bernal nega que houve qualquer tipo de negociação, mas admite que houve uma conversa sobre a sua situação política. “Não foi uma reunião, foi um encontro. Apenas uma conversa rápida. Ele disse que é possível resolver os problemas. Tudo passa pela questão da composição da maioria”, defendeu. Porém, segundo ele não recebeu nenhuma promessa de que receberia apoio do PMDB.