17 de abril de 2024
Campo Grande 22ºC

EXTREMISTAS DE DIREITA

Mais dois bolsonaristas de MS são condenados a 33 anos de prisão

Até o momento, 71 radicais foram condenados

A- A+

Ilson César Almeida de Oliveira, de 46 anos, de Sidrolândia (MS) e Eric Prates Kobayashi, de 41 anos, de Campo Grande (MS), foram condenados a penas somadas de 33 anos de prisão, em razão dos atos golpistas e depredação aos Prédios dos Três Poderes, praticados em de 8 de janeiro de 2023, em Brasília (DF).

Segundo decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), ambos cometeram crimes de abolição do estado de direito, golpe de estado, dano qualificado, associação criminosa e destruição de patrimônio tombado.

“Essencial destacar que as narrativas das testemunhas ratificam o intuito comum à atuação da horda invasora e golpista, direcionado ao questionamento do resultado das urnas, à derrubada do governo recém-empossado e à ruptura institucional. Também foi registrado o lastro de destruição operado nas áreas comuns do prédio do Senado, após a entrada dos invasores que contornaram a contenção, com procedimentos que denotavam organização do grupo”, pontuou o ministro Alexandre de Moraes, relator do processo.

jlg6ml80vwoyEsse é Ilson, de Maracaju, condenado pelos atos golpistas. Foto: Redes 

Ilson foi sentenciado 16 anos e seis meses de prisão em regime fechado. Moraes detalhou onde ele foi preso: “O réu foi preso dentro do Plenário do Senado Federal, tendo invadido o Supremo Tribunal Federal, integrava um grupo que pleiteava ilicitamente a intervenção militar no País e que organizou a vinda a Brasília para os protestos que acarretaram os atos golpistas de 8/1, tendo invadido a Praça dos Três Poderes e ingressado ilicitamente no Plenário do Senado Federal e no Supremo Tribunal Federal”, destacou o ministro Alexandre de Moraes.

Ilson Césr produziu imagens que acabaram usadas como prova contra ele no julgamento do STF (Foto: Reprodução)Ilson Césr produziu imagens que acabaram usadas como prova contra ele no julgamento do STF (Foto: Reprodução)

Eric foi sentenciado a 16 anos e seis de prisão e ao pagamento de R$ 30 milhões de indenização por danos morais. O relator apontou onde ele foi preso: “O réu Eric Prates Kobayashi foi preso em flagrante pela Polícia Militar do Distrito Federal no interior do Palácio do Planalto, no instante em que ocorriam as depredações objetivando a abolição do Estado Democrático de Direito, mas também participou da invasão e depredação do Supremo Tribunal Federal”, revelou.

Imagem mostra Eric dentro do plenário que foi destruído pelos bolsonaristas.Eric dentro do plenário destruído.

A condenação foi pelo placar de 7 favoráveis ao relatório de Moraes e 3 três contrários, sendo os ministros Luís Roberto Barroso, Nunes Marques e André Mendonça. Os ministros bolsonaristas votaram pela pena mínima.

O 4º bolsonarista de MS a ser condenado vai ser Ivair Tiago de Almeida, de 48 anos, morador de Maracaju (MS). O julgamento virtual começou na 6ª.feira passada (16.fev.24) e deve ser concluído ainda hoje. Alexandre de Moraes votou pela condenação a 17 anos de prisão e ao pagamento de R$ 30 milhões por danos morais. Apenas o ministro Cristiano Zanin tinha votado e acompanhando o relator. Ainda falta contabilizar oito votos.

O 5º sul-mato-grossense a ser julgado será Djalma Salvino Reis, 45 anos, que teve o processo incluído no julgamento virtual de 1º a 8 de março deste ano.

Ontem, mostramos aqui no MS Notícias, que o bolsonarista Diego Eduardo de Assis Medina, de 33 anos, de Dourados (MS), foi condenado a 17 anos de prisão e multa de R$ 30 milhões por invasão e danos na sede dos Três Poderes. 

De Mato Grosso do Sul, também ainda faltam ser julgados pelos atos golpistas: José Paulo Afonso Barros (Ponta Porã), Cassius Alex Schons de Oliveira (Campo Grande) e Fabrício de Moura Gomes (Três Lagoas).

LIBERDADE PROVISÓRIA 

Indivíduos como Alcebíades Ferreira da Silva e Alexandre Henrique Kessler, estão em liberdade desde 13 de março de 2023 utilizando tornozeleira eletrônica como medida cautelar. Eles também ainda devem ser julgados, pois tornaram-se réus. 

Segundo uma lista publicada pelo MS Notícias, ao menos oito bolsonaristas sul-mato-grossenses estão em liberdade usando tornozeleira eletrônica. Eis a lista de radicais de extrema direita nessa situação: 

  1. Jeferson Franca da Costa Figueiredo, de 29 anos;
  2. Leandro do Nascimento Cavalcante, de 42 anos;
  3. Ricardo Moura Chicrala, de 33 anos;
  4. Elaine Ferreira Gonçalves, de 43 anos;
  5. Madalena Severa do Santos, de 45 anos;
  6. Maria Aparecida Barbosa Feitosa, de 47 anos;
  7. Valéria Arruda Gil, de 30 anos;
  8. Mario José Ott, de 59 anos.

ESCAPARAM?

Reginaldo Fotógrafo é um dos golpistas que estiveram no ataque terrorista no DF. Foto: RedesReginaldo Fotógrafo é um dos golpistas que estiveram no ataque terrorista no DF. Foto: Redes

A reportagem do MS Notícias, identificou alguns radicais de MS que estiveram em Brasília no 8 de janeiro que, no entanto, não constaram como presos. É o caso do ex-candidato a prefeito e fotógrafo de Maracaju, Reginaldo Pereira Ferreira, de 48 anosMostramos AQUI vídeos dele em meio ao radicais no momento do ataque.  

Sul-mato-grossenses que participaram dos atos terroristas em Brasília  Foto: Redes sociaisSul-mato-grossenses que participaram dos atos terroristas em Brasília — Foto: Redes sociais

Também estava no ato, a radical bolsonaristaAndrea Barth, que acabou entregando diversos comparsas de MS ao fazer um vídeo para sua rede social TikTok. Publicamos esse caso AQUI

GOLPISTAS PENALIZADOS

No mesmo julgamento em que o STF sentenciou a dupla de MS, também condenou mais 39 pessoas envolvidas nos atos antidemocráticos de 8 de janeiro.

A maioria dos réus foi sentenciada pela prática dos crimes de associação criminosa armada, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, tentativa de golpe de Estado, dano qualificado e deterioração de patrimônio tombado. Três deles, presos antes das invasões, foram absolvidos dos crimes de dano e deterioração do patrimônio.

As penas foram fixadas em 16 anos e 6 meses de prisão, para 26 pessoas, em 13 anos e 6 meses de prisão, para 12 pessoas. Três réus, presos quando iam para a Praça dos Três Poderes, foram sentenciados a 11 anos e seis meses de prisão. Esses últimos foram absolvidos dos crimes de dano qualificado e deterioração do patrimônio, pois não participaram das invasões. 

Vinte e nove pessoas foram sentenciadas na sessão virtual concluída em 5/2. Outras 12 foram julgadas na sessão virtual encerrada em 9/2.

Confira abaixo a lista dos outros 39 sentenciados e as respectivas penas:

  1. AP 1068 – Carlos Eduardo Bon Caetano da Silva – 16 anos e seis meses
  2. AP 1084 – Francisca Hildete Ferreira – 13 anos e seis meses
  3. AP 1086 – Edilson Pereira da Silva – 16 anos e seis meses
  4. AP 1112 – Joanita de Almeida – 16 anos e seis meses
  5. AP 1115 – Matheus Fernandes Bomfim – 16 anos e seis meses
  6. AP 1119 – Matheus Dias Brasil – 16 anos e seis meses
  7. AP 1120 – Nelson Ferreira da Costa – 16 anos e seis meses
  8. AP 1131 – Josino Alves de Castro – 16 anos e seis meses
  9. AP 1133 – Sérgio Amaral Resende – 16 anos e seis meses
  10. AP 1138 – Maria Cristina Arellaro – 13 anos e seis meses
  11. AP 1139 – Sipriano Alves de Oliveira – 13 anos e seis meses
  12. AP 1143 – Ygor Soares da Rocha – 13 anos e seis meses
  13. AP 1148 – Paulo Cesar Rodrigues de Melo – 16 anos e seis meses
  14. AP 1151 – Josilaine Cristina Santana – 16 anos e seis meses
  15. AP 1158 – Jaqueline Konrad – 13 anos e seis meses
  16. AP 1168 – Ivanes Lamperti dos Santos – 13 anos e seis meses
  17. AP 1182 – Josiel Gomes de Macedo – 16 anos e seis meses
  18. AP 1259 – Jesse Lane Pereira Leite – 16 anos e seis meses
  19. AP 1264 – José Carlos Galanti – 16 anos e seis meses
  20. AP 1376 – Sandra Maria Menezes Chaves – 13 anos e seis meses
  21. AP 1382 – Cleodon Oliveira Costa – 13 anos e seis meses
  22. AP 1385 – Dirce Rogério – 16 anos e seis meses
  23. AP 1388 – Valéria Gomes Martins Villela Bonillo – 16 anos e seis meses
  24. AP 1395 – Josias Carneiro de Almeida – 16 anos e seis meses
  25. AP 1396 – Igilso Manoel de Lima – 16 anos e seis meses
  26. AP 1403 – Claudinei Pego da Silva – 16 anos e seis meses
  27. AP 1405 – Carlos Antonio Silva – 16 anos e seis meses
  28. AP 1057 – Clayton Costa Candido Nunes – 16 anos e seis meses
  29. AP 1142 – Tiago Mendes Romualdo – 13 anos e seis meses
  30. AP 1157 – Watlila Socrates Soares do Nascimento – 13 anos e seis meses
  31. AP 1175 – Leonardo Silva Alves Grangeiro – 13 anos e seis meses
  32. AP 1188 – Marcelo Cano – 16 anos e seis meses
  33. AP 1189 – Jorge Luiz dos Santos – 16 anos e seis meses
  34. AP 1417 – Juvenal Alves Correa de Albuquerque – 16 anos e seis meses
  35. AP 1421 – Gabriel Lucas Lott Pereira – 11 anos e seis meses
  36. AP 1488 – Robinson Luiz Filemon Pinto Junior – 16 anos e seis meses
  37. AP 1500 – Lucivaldo Pereira de Castro – 11 anos e seis meses
  38. AP 1501 – Marcos dos Santos Rabelo – 11 anos e seis meses
  39. AP 1504 – Manoel Messias Pereira Machado – 13 anos e seis meses

SALDO 

Até o momento, as acusações apresentadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) resultaram em 71 condenações.