27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

Oposição defende harmonia e fim de excessos para o ano de 2014

Os vereadores da oposição ao prefeito Alcides Bernal (PP) discursaram a favor da harmonia entre executivo e legislativo e pediram pelo fim dos excessos entre as duas partes. Eles usaram a tribuna durante a cerimônia de retorno das atividades da Câmara Municipal.

Chiquinho Telles (PSD) demonstrou arrependimento por ter feito uma carta de repúdio ao prefeito no ano passado e admitiu que a Câmara cometeu alguns exageros, segundo ele, justificados pela cobrança da população. “Se nos esquecermos um pouco os Facebooks da vida, brigas pessoais e os ataques, vamos construir uma cidade melhor”.

A vereadora Grazielle Machado (PR) afirmou que observava a atitude do prefeito na mesa diretora enquanto o vereador Cazuza (PP) discursava e pediu que o prefeito estendesse o mesmo olhar afetuoso a todos os vereadores. “Direcionou a cadeira pra ele com olhar de amor e respeito e prestou atenção. Talvez este seria o primeiro passo. Esse olhar de amor e respeito que teve para o Cazuza é o que está faltando”.

Grazielle ainda leu um recado de seu pai, o deputado estadual Londres Machado (PR), para Bernal. “Seja humilde, saiba ouvir. Não cometa atos precipitados. Trabalhe incansavelmente e tenha fé. Acredite e busque e será o que deseja ser”.

O vereador Eduardo Romero (PT do B) ressaltou que o judiciário exigiu que todos cumprissem a lei e que a fiscalização muitas vezes foi “mal interpretada”, mas que foi realizada uma oposição “responsável”.

João Rocha (PSDB) criticou a judicialização das relações entre os vereadores e o prefeito como ocorreu nas investigações de possíveis irregularidades na administração de Bernal. Segundo ele, o executivo e o legislativo são agentes políticos eleitos para tratar os interesses da população e precisam fazer o seu trabalho com empenho, lisura e responsabilidade.

Diana Christie