26 de outubro de 2020
Campo Grande 27º 22º

Para Mochi, Bernal culpa PMDB de perseguição, mas não fez nada por Campo Grande

A possível cassação do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP) divide não só a opinião dos vereadores da Capital, mas também dos deputados estaduais de Mato Grosso do Sul. Para o deputado estadual Junior Mochi (PMDB), Bernal é o principal responsável pela possível cassação. "Ele culpa o PMDB por perseguição, mas isso não justifica tudo que ele tem deixado de fazer e por isso corre o risco de ser cassado", afirma. Já o petista, Amarildo Cruz continua defendendo Bernal mesmo diante do desgaste político do prefeito e da recentes declarações de boa parte do PT (Partido dos Trabalhadores) que defende o rompimento do partido com o apoio a Bernal. "Sobre esta questão de romper com Bernal, acredito que isso seja apenas uma opinião pessoal do Vander e não do partido", afirma Amarildo. O deputado acrescenta que o PT não pode abandonar o prefeito da Capital apenas por ele estar envolvido em uma situação "difícil". Segundo Amarildo, " o partido tem que apoiar Bernal na alegria e na tristeza". Para o deputado, que tem uma visão otimista em relação ao prefeito, Bernal melhorou seu desempenho nos últimos meses e o PT não pode abandoná-lo neste momento em que ele mais precisa da ajuda do partido. "Os problemas que existem hoje na prefeitura são problemas naturais de qualquer administração. Bernal agora precisa do nosso apoio, e ele está dando sinais de melhora de que está aprendendo a manusear a máquina", afirma. Que o prefeito precisa de fato do apoio do PT, esta é uma grande verdade, resta saber se basta apenas o apoio de um partido para garantir que Bernal irá conseguir administrar a cidade. Heloísa Lazarini e Dany Nascimento