30 de setembro de 2020
Campo Grande 40º 23º

Petistas rebatem Nelsinho e afirmam que Zeca entregou Estado em dia

Amarildo Cruz

Os petistas de Mato Grosso do Sul rebateram as declarações do pré-candidato ao governo do Estado Nelson Trad Filho (PMDB), sobre as dívidas deixadas pela gestão do ex-governador Zeca do PT junto aos cofres públicos. Nelsinho afirmou em entrevista ao MS Notícias que o PT sempre deixou diversas dívidas, a folha de pagamentos atrasada. Ontem, durante discurso na Sessão Solene de renta do Título de Cidadão Sul-Mato-Grossense na Assembleia Legislativa, foi a vez do governador André Puccinelli (PMDB) atacar Zeca.

André declarou ter recebido o Estado com quatro folhas de pagamento atrasadas. O deputado estadual Amarildo Cruz (PT) rebateu as afirmações de Nelsinho e André, ressaltando que a dívida maior vem da administração de Puccinelli. “A maior dívida é do governo do André, eles podem falar o que quiserem, mas a maior prova está nos números. Sempre pegamos o governo com dívidas, com folhas atrasadas e entregamos redondo”, afirma.

Demonstrando total indignação voltada para as afirmações de Nelsinho, Amarildo garante que a população campo-grandense ganhou com a saída do PMDB do poder e a entrada de Alcides Bernal (PP) na prefeitura. “Temos prova de que a administração de Bernal é melhor do que a administração de Nelsinho, podemos citar por exemplo as crises com a dengue na gestão de Nelsinho e que agora com Bernal no poder, não estamos enfrentando. Isso porque Nelsinho é médico, está na área da saúde e deixava isso acontecer. Eu tenho confiança de que a administração de Bernal ainda irá fazer muito por toda a população. O que fizemos foi tirar o PMDB do poder, já que as pessoas estavam cansadas”, ressalta Amarildo.

Assim como Amarildo, o deputado estadual Laerte Tetila (PT), também defende o prefeito da Capital e afirma que o grande problema na administração de Bernal está na Câmara dos Vereadores, que tem impedido o prefeito de trabalhar por Campo Grande. “O problema não é o Bernal, o problema é a Câmara que na administração de Nelsinho liberava 30% para o prefeito trabalhar e hoje, eles liberaram 5% para Bernal, não existe a possibilidade dele produzir com 5%”.

Dany Nascimento