27 de outubro de 2020
Campo Grande 28º 22º

Projeto de lei quer ampliar postos de coleta de medula óssea

Inspirado no caso do menino Timóteo que mobilizou a população de Campo Grande para o cadastramento de doadores de medula óssea, o deputado estadual Lauro Davi (PROS) protocolou na manhã de hoje um projeto de lei que institui a Política Estadual de Mobilização para Doação de Medula Óssea em Mato Grosso do Sul.

Segundo o deputado, o Estado precisa ampliar e melhorar os hemocentros, em especial o Serviço de Transplante de Medula Óssea e o Laboratório de Células Tronco-Hematopoiéticas do HR (Hospital Regional) que precisa de investimentos em torno de R$ 3 milhões. “O Hospital Regional não tem espaço para doação de medula óssea. A pessoa de boa vontade acaba sendo prejudicada”, justificou.

O projeto prevê também a integração da população à Rede de Hemocentros, mobilização dos setores de saúde dos municípios e divulgação estratégica dos procedimentos de doação porque a possibilidade em encontrar um doador compatível com o paciente é de uma em 100 mil.

A medula óssea é encontrada no interior dos ossos e produz os principais componentes do sangue, que são responsáveis pelo transporte de oxigênio na circulação sanguínea, pela coagulação do sangue, e também atuam no sistema imunológico. O procedimento de coleta da medula consiste em uma punção no osso da bacia (pequeno procedimento cirúrgico) e se assemelha a uma doação de sangue.

Os doadores precisam se cadastrar apenas uma vez e atualizar os dados apenas quando mudam o endereço ou telefone. Todas as pessoas entre 18 e 55 anos que não apresentam doenças infecciosas ou hematológicas podem se cadastrar.

Dany Nascimento