28 de novembro de 2020
Campo Grande 36º 23º

ELEIÇÕES 2020

Psol renova direção em Campo Grande e prepara ações no ano eleitoral

Partido ainda não definiu se lança candidatura ou tenta alianças no campo progressista

Cris Duarte, executiva de uma revista periódica com olhar afirmativo, a “Empodere”, formada em Psicologia pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e estudando Especialização em Saúde Pública, é desde segunda-feira, (13.abril), a presidenta municipal do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) em Campo Grande. A investidura da nova Comissão Executiva é um dos passos programados pelo partido para o ano eleitoral das disputas pela Prefeitura e Câmara de Vereadores.

Jovem, mas com intensa atuação nos movimentos sociais, Cris Duarte transita com desenvoltura junto a forças políticas de diferentes matizes, sobretudo no chamado campo progressista onde estão localizados, entre outros, o PT, e o PCdoB. Contudo, apesar de algumas afinidades ideológicas ou programáticas com essas legendas, o Psol campo-grandense ainda vai decidir de acordo com sua disciplina estatutária quais os caminhos a seguir.

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e o Partido dos Trabalhadores (PT) já têm pré-candidaturas definidas para a disputa pela Prefeitura, o advogado Mário Fonseca e o deputado estadual Pedro Kemp, respectivamente. E os dois acariciam com interesse a possibilidade de contar com o Psol numa aliança de perfil progressista para concorrer. Não é um desejo fácil de concretizar, até porque o Psol possui diretrizes rígidas até para alianças à esquerda.  

Além de Cris Duarte na presidência, a executiva local do Psol tem na sua composição os filiados Lucien Rezende, Nizael Almeida, Paulo Edir e Rosana Santos. Ao anunciar sua investidura, Cris Duarte afirmou em postagem nas redes sociais: “O Psol tem mostrado seu protagonismo no Congresso Nacional pela atuação altamente qualificada de seus parlamentares, e nosso compromisso será manter a coerência de discurso e ideias no cenário político de Campo Grande”.

ABALO

Ontem, terça-feira (14.abril) os militantes estavam muito abalados com a morte da jovem Alanys Matheus, vítima de uma parada cardiorrespiratória. A direção emitiu a seguinte nota oficial: “Foi com grande pesar que o Partido Socialismo e Liberdade (Psol) recebeu nesta manhã a notícia do falecimento de Alanys Matheusa, uma jovem de 22 anos que ganhou notoriedade nacional no último ano após ser destaque na revista Intercept Brasil como a primeira mulher transexual negra e periférica a se tornar advogada no Mato Grosso do Sul”.

E a nota finaliza, enfatizando: “Para a militância do Psol Campo Grande, a filiação de Alanys, no início deste mês de abril, foi motivo de muito orgulho, e a memória de sua luta, força e coragem permanecerá viva em nossa história. Neste momento de profunda tristeza, o PSOL se solidariza com familiares, amigos e com o movimento LGBT por esta perda irreparável. Alanys, Presente!”