03 de maro de 2021
São Paulo 39º 24º

População

Renegociação da dívida resulta em melhora de serviços, diz Reinaldo

Em entrevista concedida à Rádio CBN Nacional, nesta segunda-feira (16), o governador Reinaldo Azambuja voltou a defender a necessidade de um acordo em torno da dívida dos Estados com a União, para que os executivos estaduais tenham mais recursos para realizar os investimentos prioritários para a população. “O que os estados pagam hoje de juros é uma agiotagem oficial”, afirmou o governador ao jornalista Milton Jung, âncora do Jornal da CBN.

O governo do Mato Grosso do Sul paga cerca de R$ 100 milhões todo mês de juros da dívida. Para que se tenha uma ideia do que representa este valor, a Caravana da Saúde, que já percorreu todo o Estado e realizou 130 mil procedimentos, entre cirurgias eletivas, consultas e exames especializados, vai custar ao governo estadual, em um ano, R$ 75 milhões. Portanto, com o valor de apenas um mês de juros que o Estado paga ao governo federal, ele poderia bancar o custo da caravana e ainda sobrariam R$ 25 milhões.

Na entrevista, Reinaldo contou que vem se encontrando com governadores de outros estados para juntos construírem uma pauta conjunta sobre o alongamento das dívidas a ser debatido com o Governo Federal. Ele lembrou que o Supremo Tribunal Federal (STF) deu prazo de 60 dias para que a União e os estados entrem em acordo sobre o impasse. “Acredito muito no diálogo para que a gente possa achar o melhor caminho para todos nós cumprirmos com nossas obrigações”, falou.

O governador contou na entrevista que em 1998 o Mato Grosso do Sul refinanciou R$ 1,4 bilhão em dívidas, pagou R$ 7,5 bilhões até 2015 e ainda deve R$ 7,8 bilhões. A composição dos juros usada pelo Governo Federal constituiu uma dívida astronômica na avaliação de Reinaldo e precisa ser revista.