03 de dezembro de 2020
Campo Grande 34º 23º

Vereadores coltam a defender redução a zero de suplementação sem autorização

Os vereadores da oposição ao prefeito Alcides Bernal (PP) voltaram a defender hoje a redução a zero do teto de suplementação permitido sem autorização da Câmara Municipal. Segundo o argumento apresentado é que Bernal e o secretário municipal de planejamento, controle e finanças, Wanderley Ben Hur, não sabem administrar o dinheiro público e tem aplicado as receitas do tesouro municipal de forma aleatória a privilegiar determinadas empresas, como já foi denunciado pelo MS Notícias.

Para o vereador Chiquinho Telles (PSD), Bernal não conseguiu administrar o dinheiro público. "Em um ano ele fez apenas uma obra que foi o recapiamento da avenida das Bandeiras, nem as obras que estavam prestes a ser finalizadas deixadas pela administração anterior ele não concluiu", afirma. Questionado sobre as obras deixada pelo ex-prefeito da Capital, Nelson Trad Filho (PMDB), Chiquinho é categórico e afirma que "erros existem, mas antes a cidade andava e se desenvolvida, agora está estagnada", garante Chiquinho.

Para o vereador, o abandono da cidade chegou a tal ponto que a população está desmotivada. "Ando pelos bairros não vejo um pisca pisca de natal nas casa, antes víamos vários, Bernal jogou Campo Grande na escuridão. As pessoas que esperavam por mudanças e que votaram nele estão desacreditadas".

Assim xomo Chiquinho Telles, o vereador do PMDB, Vanderlei Cabeludo, é a favor da redução a zero da suplementação sem autorização. "Ele não pode ter autonomia para suplemetnar sozinho porque não sabe fazer isso. Se ele já fez tantas coisas erradas com apenas 5% imagina com mais".

Heloísa Lazarini e Alan Diógenes