01 de outubro de 2020
Campo Grande 41º 22º

Vereadores defendem que figura política é mais forte que partido

Diana Christie e Alan Diógenes

Os vereadores de Campo Grande defendem que a figura política do candidato é mais forte que os ideais do partido quando se trata da realidade brasileira. “Às vezes temos cinco partidos diferentes com as mesmas propostas. A população acaba votando naquele candidato que apresenta um número maior de propostas e de maior quantidade”, afirma Mário César (PMDB).

Tanto a vereadora Grazielle Machado (PR) quanto o vereador Paulo Pedra (PDT) acreditam que os modelos eleitorais adotados na Europa e nos Estados Unidos, onde os eleitores escolhem qual o partido que possui os ideais mais condizentes com suas necessidades, não se aplicam à cultura brasileira. “Na Europa, as eleições são trabalhadas dessa maneira há mais de 200 anos”, argumenta Pedra.

Diversidade de partidos - Hoje, o Brasil possui 32 partidos registrados no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), esse número elevado causa divergências entre os parlamentares.  Por exemplo, o presidente da Câmara Municipal vereador Mário César, acredita que muitos partidos apenas atrapalham a decisão do eleitor que precisa lidar com propostas similares. Já Grazielle Machado defende que este cenário é reflexo de um país democrático com liberdade de expressão política.

Grazielle e Paulo Pedra afirmam ainda que, apesar do PT e do PMDB serem os partidos de maior expressão no Mato Grosso do Sul, em breve haverá ao menos mais três partidos menores atrapalhando esta hegemonia.