30 de novembro de 2021
São Paulo 39º 24º

Visita de médico à Câmara gera polêmica entre vereadores

A- A+

A visita do clínico geral, Renato Figueiredo, à Câmara de Vereadores de Campo Grande na manhã de hoje gerou confusão e dividiu a opinião dos vereadores da Capital. Durante a apresentação de um vídeo gravado por Renato, em que bebês recém-nascidos aparecem usando tubos de oxigênio improvisado com tubos de soro fisiológico, o médico foi interrompido pelos vereadores Zeca do PT, Luiza Ribeiro (PPS) e Alex do PT, que tentaram impedi-lo de continuar denunciando as precárias condições de atendimento da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida.Renato afirma que, depois do início da gestão do atual prefeito, Alcides Bernal (PP), a qualidade do atendimento do hospital piorou. “Faltam equipamentos de eletrocardiograma, faltam medicamentos, a área da pediatria é, sem dúvida, a mais prejudicada”, desabafa o médico. O médico criticou os vereadores da base do prefeito por tentaram impedi-lo de falar. “Os vereadores têm que fiscalizar e ajudar a população, por isso, quando fui convidado por Chiquinho Telles para vir aqui, aceitei de prontidão. Fico triste de ver vereadores tentando me calar”, afirma. Renato foi desonerado da UPA, depois de ter sido acusado por Camila Graziela de negligência médica. Segundo Camila, Renato maltratou seu irmão, que possui problemas psiquiátricos, e fez pouco caso ao atendê-lo. O caso gerou repercussão nas redes sociais, e o secretário municipal de saúde Ivandro Fonseca, decidiu exonerá-lo e abrir uma sindicância para investigar o assunto. O médico nega as acusações e afirma que foi desonerado sem ser comunicado e que a demissão foi pautada pelas críticas que ele vinha fazendo em relação à gestão de Bernal. Heloísa Lazarini e Alan Diógenes