23 de junho de 2021
Campo Grande 30º 17º

Operação Fronteira Integrada abrange Corumbá e Porto Murtinho

A- A+

As ações são coordenadas pelo Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira (GGO Fron) e conta com a participação das tropas do Exército e da Marinha e dos órgãos de Segurança Pública (PF, PRF, PM, PMRv, DOF, PMA e Guarda Municipal) e Fiscalização nas esferas estaduais e municipais (Receita Federal, Receita Estadual e Fiscalização de Posturas do Município).

Foi dado início na manhã de hoje a operação Fronteira Integrada, nos municípios de Corumbá – distante 444 quilômetros de Campo Grande – e porto Murtinho – distante 454 quilômetros de Campo Grande. Essas cidades fazem fronteira com a Bolívia e o Paraguai, respectivamente.

De acordo com o site Diário Corumbaense, as ações são coordenadas pelo GGO Fron (Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira) e conta com a participação das tropas do Exército e da Marinha e dos órgãos da Polícia Federa, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar Rodoviária, Departamento de Operações da Fronteira, Polícia Militar, Polícia Militar Ambiental e Guarda Municipal.

A operação tem como objetivo o combate aos crimes transfronteiriços e ambientais, como tráfico de drogas e contrabando, por meio de postos de bloqueio e controle de estradas, bloqueios fluviais e ações de patrulha.

Em Corumbá, o foco da fiscalização foi o comércio ambulante de vários tipos de mercadorias. Acompanhados de policiais militares e da Guarda Municipal, os fiscais abordaram os ambulantes que estavam nas calçadas.

Já foram apreendidos CDs e DVDs piratas, além de outros produtos. Os vendedores que tiveram mercadorias apreendidas têm prazo de cinco dias para apresentar as notas fiscais e comprovar a procedência. Em caso de não apresentação, os produtos ficam apreendidos e posteriormente encaminhados à Receita Federal.

Em outra frente de fiscalização, o Exército, as forças de segurança e de fiscalização estão no Posto Fiscal do Lampião Aceso, na BR-262. Veículos e pessoas são abordados para vistoria e checagem de documentos. Dois cães farejadores ajudam no trabalho. A operação não tem data para terminar, segundo informou a coordenação das ações.

Tayná Biazus