19 de junho de 2024
Campo Grande 20ºC

CAMPO GRANDE (MS)

PM à paisana salva idoso e 'amigo' de casa em chamas no Tijuca (vídeo)

Além do idoso, havia outro homem com sinais de embriaguez no interior do imóvel

A- A+

O cabo da Polícia Militar, Martins, de 39 anos, salvou um idoso de 79 anos, de uma casa em chamas, às 17h30 desta 6ª.feira (7.jun.24), na Rua Xavantes, no Bairro Tijuca, em Campo Grande (MS).

De acordo com apurado pelo MS Notícias, Martins estava à paisana, passando pelas proximidades em seu carro juntamente com a esposa, que também é PM, e o filhinho de 4 anos do casal, quando eles depararam com o imóvel tomado pelo fogo. 

“Me deparei com esse incêndio nessa residência e eu verifiquei que tinha algumas senhoras em frente a residência acenando em direção ao interior a residência... Eu desci para verificar o que estava ocorrendo e as pessoas me informaram que tinha um senhor dentro da residência, e que ele estava desorientado em não conseguia sair”, contou. 

Diante disso, Martins foi informado que os vizinhos já haviam acionado o Corpo de Bombeiros, mas temendo pela vida do idoso, o PM decidiu entrar no imóvel em chamas. “Não ia dar tempo se deixasse o senhor na residência ele ia acabar falecendo, em decorrência ou de queimaduras ou da inalação da fumaça. Aí eu adentrei a residência, tirei o senhor de dentro da residência... ele estava bastante desorientado”, detalhou.

Já na parte externa do imóvel, o idoso revelou ao PM que ainda havia outra pessoa na casa. “Ele informou que tinha mais um cidadão lá dentro que também foi retirado da residência”, acrescentou PM, explicando que essa segunda pessoa disse ser “Capitão da reserva do exército”, mas que não aguardou até a chegada dos socorristas, pois apresentava sinais de embriaguez.

Martins explicou que as chamas tomaram altas proporções devido ao idoso ter acumulado muitos materiais recicláveis no interior do terreno. Um vídeo mostra o momento em que o PM entra no local e resgata o idoso:  

Apesar do susto, graças a bravura do PM, duas vidas foram salvas. “O sentimento que fica é o sentimento de dever cumprido, apesar de não ser Bombeiro Militar e sim Policial Militar, sinto que fiz minha parte”, disse Martins.