14 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

ASSASSINATO

Polícia do Paraguai acha Toyota Belta usado por executores de pecuarista brasileiro

O pecuarista foi executado por pistoleiros  dois homens que se chegaram a bordo do Toyota

A polícia paraguaia encontrou o hoje (5.março) o veículo usado no assassinato do brasileiro Rivaldo Aparecido Oliveira, de 66 anos, morto ontem (4.março) na fazenda Santa Fé, em Nueva Esperanza (PY).  

O veículo: Toyota Belta, de cor branca, com placa AAEH 886  — foi achado em Yby Yaú (PY) numa estrada do Bairro Hermínio Mendoza, povoado localizado no Departamento (equivalente a Estado) de Concepción, a 112 km de Ponta Porã (MS).

O pecuarista foi executado por pistoleiros — dois homens que se chegaram a bordo do Toyota, à fazenda Santa Fé e perguntaram a esposa da vítima onde estava Rivaldo. Encapuzados os desconhecidos entraram na sala e dispararam vários tiros contra o brasileiro, que morreu no local. 

Segundo a esposa, os homens não roubaram nada da sala, entraram apenas com o propósito de assassinar.  

O Tenente Coronel Luis Apesteguía, porta-voz da Força Tarefa Conjunta (FTC), afirmou que a vítima trabalhava como administrador da fazenda Guarani, mas foi assassinado em seu estabelecimento de gado.

Disse que, aparentemente, se trata de um caso de pistoleiros vinculados ao narcotráfico e que é muito difícil serem os grupos criminosos e terroristas que atuam no norte do país. “Embora não possamos descartar, é muito difícil lidar com eles por causa da forma como o evento ocorreu”, acrescentou ele em conversa com a rádio 1020 AM.

Por sua vez, o procurador Samuel Valdez informou que, de acordo com as declarações da esposa, os agressores não pediram dinheiro nem trouxeram objetos de valor de casa. “Estavam todos com o rosto coberto e com uniformes paramilitares, vamos consultar a Polícia Nacional para ver se podemos identificar essas pessoas pelas câmeras para saber quem são”, acrescentou.

Segundo dados do Ministério Público, há alguns dias um veículo circulava em frente ao estabelecimento.

Os investigadores vão analisar uma câmara de circuito fechado da propriedade e vão averiguar se existem outras gravações nas imediações que possam ter capturado os suspeitos.