27 de janeiro de 2022
Campo Grande 30º 22º

HOMICÍDIO | CAMPO GRANDE (MS)

Preso, Jhonny diz que matou "Gil" após ver a esposa grávida ser 'agarrada'

Vítima emprestava dinheiro e teria tentado "abusar sexualmente" de uma amiga durante um encontro para que a dívida fosse quitada

A- A+

Jhonny Anastácio Reinaldo do Nascimento, de 33 anos, foi preso em flagrante pelo assassinato de Gilmar da Silva Costa, de 31 anos, encontrado morto às 2h da quinta (25.nov.21) com diversas facadas no quintal da casa em que vivia na Ovideo de Paula Correa, na Vila Marli, em Campo Grande (MS).

Segundo apurado, ao depor à Polícia, o suspeito disse que matou Gilmar (conhecido apenas como “Gil”), após a vítima ter agarrado a força Jéssica Silva Ribeiro, de 32 anos, esposa de Jhonny que está grávida de 4 meses.

A informação é do site Campo Grande News. O MS Notícias não conseguiu falar com o delegado do caso, Enilton Pires Zalla, da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, onde o crime é investigado.             

“Em depoimento, ele contou que o homem [vítima] era agiota e se aproveitou do momento em que a esposa foi até sua casa pagar uma dívida”, disse o site. 

Ainda de acordo com o site, Jéssica e Jhonny foram presos, isso porque ela estaria ligada ao crime.

Na delegacia Jéssica teria dito à Polícia que conhece “Gil” desde os 17 anos e frequentemente pegava dinheiro emprestado com ele. O site relatou que Jéssica disse que neste mês teria emprestado de “Gil” o equivalente a R$ 900, divididos em três empréstimos, sendo que deixou o cartão Bolsa Família e um celular penhorado. Na madrugada do crime, segundo informou o Campo Grande News, Jéssica teria ido até a casa de “Gil” quitar a dívida e pegar os pertences, ocasião em que ele disse que queria manter relações sexuais com a jovem. Ela se negou e “Gil” a agarrou a força. Ela gritou e o esposo que estava ao lado de fora invadiu o imóvel e se deparou com a esposa sendo “agarrada” e passou a lutar com “Gil”.

Durante as agressões entre “Gil” e Jhonny a esposa fugiu. Os homens foram lutando pela casa até que “Gil” pegou uma faca e eles foram para o quintal. Jhonny disse quem determinado momento tomou a faca e desferiu os golpes que resultaram na morte de “Gil”. 

Após o crime Jhonny foi para casa onde encontrou a esposa e falou sobre o homicídio. Ele diz que a mulher não tem relação com o assassinato. 

Jhonny passou por audiência de custódia nesta sexta-feira (26.nov.21) onde foi determinada a conversão de sua prisão em preventiva. 

IDENTIFICAÇÃO DA VÍTIMA

A família de Gilmar diz que ele tem 40 anos, apesar disso ele não tinha nenhum registro civil e isso impossibilitou a liberação do corpo para velório em enterro. Os parentes acionaram a Defensoria Pública, mas foram informados que a emissão de documentos neste caso pode demorar meses.

Ao g1, a assistente de educação infantil Priscila Silva Ribeiro, de 30 anos, explicou o porquê de o tio nunca ter emitido nenhum documento. “Ele não sabia ler. Então isso foi gerando uma vergonha nele e ele foi adiando, adiando”, argumentou.

Esta vergonha marcou a vida e as escolhas de Gilmar. Sem RG ou CPF, ele sempre “viveu de bico” para evitar o constrangimento de solicitarem seus documentos. Também não pode registrar o único filho, conforme o relato de Priscila.

A família estava habituada com a situação, mas ouvir que o corpo de Gilmar não poderia ser liberado para velório surpreendeu a todos. “Disseram que o atestado de óbito vai demorar meses. Enquanto isso, ele vai ficando lá”, lamentou a assistente.

Priscila afirma que eles não sabem mais a quem recorrer. "Ninguém esperava por isso. Ele era querido por todo mundo e a gente quer o velório", disse.

A orientação que eles receberam é aguardar. " Estamos sem saber o que vai acontecer. Ele já morreu não tem por que segurar o corpo. Só por causa de um documento, um papel vão ficar com o corpo dele quanto tempo mais?", perguntou.

O autônomo foi encontrado morto por um vizinho no bairro Vila Marli, na madrugada desta quinta-feira (25), em Campo Grande. Marcas no corpo indicam que Gilmar da Silva Costa foi esfaqueado.

Fontes: Campo Grande News | g1