25 de junho de 2021
Campo Grande 30º 19º

JUSTIÇA | ITAPORÃ (DF)

'Vampiro do Itapoã' é condenado a 21 anos por matar e beber sangue de vítima

Heraldo José de Carvalho, de 43 anos, foi morto em maio de 2019; corpo foi encontrado em um matagal no Itapoã no Distrito Federal

A- A+

Eduardo de Araújo da Conceição, conhecido como 'Vampiro do Itapoã', foi condenado ontem (13. abril) a 21 anos e cinco meses de prisão por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. Ele era acuado por matar Heraldo José de Carvalho em 11 de maio de 2019.

A decisão saiu no Tribunal do Júri do Paranoá e teve pena maior devido ao "motivo fútil e emprego de meio cruel" no assassinato, segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT) e aceita pela Justiça.

Heraldo havia sido contratado para a construção de uma cerca, no lote em que morava o assassino, na região do Itapoã. O “vampiro” chegou a pagar em pedras de crack pelo serviço, mas a vítima não fez a cerca. 

O crime ocorreu quando Eduardo foi cobrar pelo serviço acompanhado por Francisco das Chagas Araújo, Hilcimar Lopes da Silva e um adolescente. Segundo as investigações, Heraldo respondeu que não poderia fazer o trabalho naquele momento. Diante disso, conforme a denúncia do MP, Eduardo mandou o adolescente matar Heraldo. O jovem golpeou a cabeça da vítima com uma barra de ferro, com ajuda de Francisco.

Após ser morto Hilcimar e o adolescente escondessem o cadáver, que foi lançado em uma tubulação de esgoto. Eduardo ficou conhecido como "Vampiro do Itapõa" após uma testemunha afirmar que o homem bebeu o sangue da vítima durante o assassinato. 

A delegada responsável pelo caso à época, Jane Klébia, contou que "o suspeito criava cachorros, gatos e pássaros e costuma beber o sangue desses animais".

No dia do crime, policiais foram à casa de Eduardo e encontraram vários gatos, um cachorro morto e vísceras de animais. Ele e os comparsas estavam presos e aguardavam julgamento desde 2019. O adolescente, porém, foi privado de liberdade por três anos e está em uma unidade socioeducativa.

Na decisão de ontem, os dois envolvidos no homicídio, Francisco das Chagas Araújo, acusado de espancar a vítima, deve cumprir 13 anos de reclusão e Hilcimar Lopes da Silva, que também deve responder pela ocultação de cadáver, foi condenado a 16 anos de prisão.