27 de novembro de 2021
Campo Grande 32º 21º

Juliana Zorzo assume Fundac com mais de R$ 270 mil em dívidas

A- A+

A nova titular da Fundac (Fundação Municipal de Cultura) Juliana Zorzo informou hoje que já realizou um levantamento sobre as condições na qual a fundação se encontra e constatou que o maior problema é o não pagamento de dívidas com os artistas que prestaram serviços para prefeitura de dezembro de 2013 até este mês.

Segundo Juliana, existe cerca de R$ 110 mil em dívidas e mais R$ 26 mil em dividendos com os funcionários da prefeitura que trabalharam na Cidade do Natal. "Os funcionários que trabalharam na Cidade do Natal deveriam ter recebido ajuda de custo para alimentação. No entanto, esse valor não foi pago até hoje', explica. Outra descoberta de Zorzo à frente da fundação é a ausência do processo de despesas referente ao carnaval 2014.

Segundo a diretora da Fundac, este processo desapareceu da fundação, o que dificulta saber o valor real gasto no custeio do evento e também ter a certeza se todas as despesas foram pagas. "O processo sumiu, temos apenas um relatório, mas é insuficiente e vamos registrar boletim de ocorrência sobre o caso", afirma Juliana.

Outra dívida deixada pela administração anterior é referente a uma empresa de estruturas para palco e standards que prestou serviço para a prefeitura durante a gestão do ex-prefeito Alcides Bernal (PP). Sem revelar o nome da empresa, Juliana apenas informou que a dívida gira em torno de R$ 1 mil.

Fundac daqui para frente

Segundo a diretora da Fundac, Juliana Zorzo, a nova era da fundação teve início ontem com a apresentação do grupo de rock gospel Oficina G3 realziada na praça do Rádio. O show reuniu cerca de sete mil pessoas. Outra ação promovida pela Fundac sob comando de Zorzo é  uma parceria com o circo internacional Tihany. Batizada com nome de Circo Social a ação irá distribuir cinco mil ingressos gratuitamente a crianças e idosos ligados a entidades de assistência social, asilos e escolas da rede municipal de ensino.

Conforme Juliana, a fundação efetuou uma parceria com a Assetur que cedeu nove ônibus para fazer o transporte das crianças e idosos que irão assistir ao espetáculo circense. A primeira sessão aconteceu ontem e reuniu 760 pessoas. A partir de hoje serão realizadas sessões socais todas as sextas-feiras, até completar cinco mil pessoas, com a participação de 500 pessoas por sessão.

Além de promover novas parcerias e ações culturais, Juliana Zorzo afirmou que pretende resgatar projetos antigos como a Seresta Cultural, que foram extintos na gestão de Bernal.

Heloísa Lazarini e Dany Nascimento