20 de abril de 2021
Campo Grande 32º 19º

Blackout

Projeto mostra como a nudez pode levantar a auto-estima

O 'Projeto Blackout' desenvolvido pelo fotógrafo Hector Diego, de 22 anos, vêm transformando a vida de muitas mulheres da Capital e também ajuda resgatar a auto-estima delas. Os ensaios duram em média de duas horas e meia e os locais para realização das fotos são escolhidos a dedo.

Segundo Hector, o último ensaio fotográfico aconteceu no fim de semana. O local foi uma obra de construção abandonada em Campo Grande. “Quem escolheu o lugar foi a Patrícia Ramires e acabamos entrando em consenso que seria lá. Após isso preparamos as roupas, make e definimos o horário próximo ao por do sol”, comenta.

O ensaio foi realizado em um obra de construção abandonada

Quem pensa que fotografar é fácil está enganado, para Hector cada trabalho é um desafio. “Este foi um dos mais desafiantes, precisamos pular um muro, passar todo o equipamento e modelo. Foi um ensaio único e um dos que mais gostei por conta do desafio, cada ensaio é diferente, por que nem todas são iguais no modo de agir”, explicou Hector.

Os ensaios geralmente são feitos por uma equipe composta de fotógrafo, diretora e making off. As melhores fotos são publicadas na página do projeto no Facebook.  “Os temas são escolhidos através de páginas do Instagram, sempre procuro temas para os ensaios”, conta. 

Nudez

No fim de semana, a gerente de vendas, Hosana Borges, de 20 anos, decidiu encarar e ficar sem roupa em um ensaio fotográfico. É a primeira vez que ela participou de um ensaio, mas confessa que em poucos minutos perdeu a timidez e encarou o desafio. “No início tive um pouco. Mas ele (Hector) me deixou a vontade que perdi a vergonha no segundo click”, afirmou Hosana.

Ela explica que não era um sonho, mas uma grande curiosidade de poder ver como sairia em um ensaio. Também disse que escolheu o fotógrafo por já conhecer seu trabalho. “Eu já conhecia o trabalho do Hector e sei que ele é um bom profissional e sempre tive curiosidade e vontade de fazer um ensaio como esse, a oportunidade apareceu e fui”, conta.

Cicatriz

Já Fabíola Catarinelli, de 19 anos, conheceu o projeto Backout em um grupo de whatsApp. Mas antes conversou com uma cliente que já havia participado dos ensaios. “Procurei uma menina que já tinha feito o ensaio e perguntei tudo, até que cheguei nele conversamos por alguns dias e expus minha idéia que era mostrar minha cicatriz de escoliose no ensaio tornar algo que me incomodava em algo sensual”, comentou.

Fabíola durante o ensaio fotográfico 

O ensaio aconteceu em outubro do ano passado, o local foi uma chácara com eucaliptos e também em um terreno baldio. “Queria mostrar que aquilo que sofri tanto em uma superação, ou seja, que podia ser minha referencia de beleza e o Hector conseguiu exatamente. Depois das fotos as pessoas pararam de ficar como dó e começaram a achar aquilo lindo. Pra mim foi mais que um ensaio e sim uma realização pessoal. O alto-estima triplicou”, ressaltou Fabíola.

Plus size

Um bar de rock foi o palco para os ensaios fotográfico de Beca*, de 25 anos. Ela tinha como objetivo mostrar por meio da fotografia o seu amadurecimento como mulher. “Sempre quis fazer um ensaio para marcar o meu amadurecimento. Aquela coisa de se assumir como mulher e deixar de lado a menina que ainda me acompanhava”, explicou.

O ensaio aconteceu em um bar de rock 

Ela também ressaltou que não queria fazer nada forçado, “queria que fosse uma coisa que tivesse a ver comigo”. Por este motivo escolheram o bar para as fotos. “Eu mesma já fiz muitas loucuras, na adolescência, para me encaixar em um padrão de beleza que não condiz com a minha genética. Eu acho realmente importante entender o seu próprio corpo e se amar acima de tudo, não só o seu corpo, mas suas qualidades, seus valores, sua força... Ser mulher vai muito além de ter um corpo "perfeito" e beleza também vai muito além de físico” avaliou Beca.

Para Beca, os ensaios ajudaram a encontrar quem realmente ela é. “Através do ensaio, eu encontrei uma forma de mostrar que eu amo como e quem eu sou”, afirmou. Sei contar que também ajudou na auto-estima.

Realização

A publicitária Ana Rodrigues, de 28 anos, também participou do projeto. Ela foi uma das pioneiras a participar dos ensaios fotográficos.  As fotos foram tiradas em um trilho próximo do presídio de Campo Grande.

Para ela, o que mais chamou a atenção foram os momentos das fotos e se sentiu a vontade diante das câmeras. Também contou que após a publicação das fotos recebeu várias propostas de trabalhos. “A procura aumentou para fazer esse tipo de trabalho. Me senti realizada e super a vontade, amei as fotos”, contou.

Sobre as críticas por causa das fotos, ela explica que tem os que aprovam, mas também tem aqueles criticam. “Tenho certeza que a maioria critica, mas o restante não falou nada”, afirmou Ana.

Hector explicando sobre o projeto Backout  Foto: Wanderson Lara

Para Hector, o projeto tem como objetivo mostrar a beleza de cada mulher. Independente de magra, gorda ou bonita. “Mulher não é só peito e bunda, mulher tem coração, é linda por fora e por dentro, só depende de como você olha”, finalizou o fotógrafo.

De acordo com Hector, as fotos não passam por photoshp, apenas são editadas luzes e os efeitos. “A pele e a imagem não são tratadas”, comentou. 

*O nome Beca é fictício, pois a entrevistada prefere ser chamada por este nome.