CIDADE LIMPA PREF. NOVA ALVORADA DO SUL FIXA

MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS

PRESTAÇÃO DE CONTAS PMCG BARTZ
segunda, 17 de junho de 2019

40 ANOS

Professor é condenado há 40 anos de prisão por assediar e abusar alunas

As vítimas eram garotas com idades entre 14 e 12 anos

Por: BRUNA AQUINO10/06/2019 às 11:15
ComentarCompartilhar
Foto: Reprodução

Um professor foi condenado a 40 anos de prisão em regime fechado por abusar e assediar estudantes de 12 e 14 anos dentro da escola no município de Nioaque. A juíza Larissa Luiz Ribeiro julgou procedente a ação movida pelo Ministério Público Estadual (MPE) e determinou que o acusado pague  indenização de R$ 5 mil para cada vítima além de perder o cargo público.

O processo corre em segredo de justiça, mas conforme informações passadas pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), uma das vítimas contou que o professor passou a mão nela quando estava voltando do intervalo e a colega presenciou o fato.

Ela ainda disse que o professor falava com ela como se ambos tivessem um relacionamento e sempre querendo que ela fosse até a dele tomar tereré. A adolescente contou que “ele beijava-a, apertava-a e abraçava de modo muito diferente do normal e que um desses abraços sentiu a mão dele abaixando em seu corpo até pegar em sua nádega”.

Outra vítima, atualmente com 12 anos de idade, disse que os fatos ocorreram a partir do 3° bimestre, depois das férias quinzenais. Ela disse que ele começou com umas brincadeiras e sempre perguntava se ela tinha o traído nos finais de semana.

A menor relatou que um dia estava fazendo trabalho no pátio da escola e, ao tentar tirar uma dúvida, ele tentou beijá-la. “Ele chegou perto de mim e eu virei o rosto e saí”, disse a aluna. A menina afirmou também que o acusado tinha a mania de puxar as meninas pela cintura para chegar mais perto. Contou que normalmente o professor fazia isso dentro da sala, na frente da turma inteira.

Para a juíza, os documentos juntados nos autos, os depoimentos individuais de vítimas e testemunhas, comprovam absolutamente os crimes cometidos pelo professor. Além disso, a magistrada esclareceu que o delito de estupro de vulnerável restou perfeitamente demonstrado, já que o réu colocou a mão na cintura da vítima, desceu e apalpou sua nádega, com vítima menor de 14 anos, com intuito de satisfazer sua sexualidade, e não apenas importunar a vítima.

Fonte: Correio do Estado.  

Deixe seu Comentário

TV MS

14 de junho de 2019
Atrizes de espetáculo em cartaz há 19 anos falam dos bastidores

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MSRua Rodolfo Andrade Pinho, 634
CEP 79090.050 - Vila Taveirópolis
Campo Grande/MS
 (67) 99150.1270
Editorias
Institucional
Mídias Sociais
© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma