COPA DOS SERVIDORES

MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS

domingo, 15 de setembro de 2019

INSTITUTO ACQUA

R$ 270 milhões: Saúde suspende licitação suspeita para gestão de hospital para ajustes

Resende suspendeu licitação para promover adequações a interesse da administração

Por: O JACARÉ13/09/2019 às 12:43
ComentarCompartilhar
O secretário estadual de Saúde, Geraldo ResendeO secretário estadual de Saúde, Geraldo ResendeFoto: Reprodução/Arquivo/O Jacaré

Suspeita de direcionamento para beneficiar o Instituto Acqua, contratado sem licitação em março deste ano, marca a licitação para contratar o gestor do Hospital Regional Doutor Jose de Simone Netto, em Ponta Porã. O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, acabou cedendo à pressão e adiou a abertura das propostas, previstas para ontem (12), para promover “ajustes” no edital.

O chamamento público mostra a dificuldade do Governo do Estado em aplicar corretamente e sem por fim às suspeitas na aplicação dos recursos da saúde. O Acqua foi contratado em regim de emergência para substituir o Instituto Gerir, que recebeu R$ 98,6 milhões, mas acabou se tornando mais eficiente em manter o caos na unidade, com greve, falta de remédios e materiais hospitalares.

O problema que a Organização Social escolhida para substituí-la não possui uma imagem exemplar nem conduta ilibada. Promotores de outros estados, como São Paulo, denunciaram o Instituto Acqua por má prestação do serviço, superfaturamento e outras irregularidades.

Para descobrir a ficha do instituto, Resende só precisaria fazer uma busca rápida no Google para descobrir, de forma rápida e sem custo, a ficha completa da entidade.

Só que o Instituto Acqua (Ação, Cidadania, Qualidade Urbana e Ambiental), de Santo André (SP), passou a ser o favorito a continuar prestando o serviço em Ponta Porã. De acordo com interessados em participar do certame, só a OS teria condições de atender a exigência de fazer o depósito de R$ 543,1 mil para participar da licitação.

Como são criadas sem fins lucrativos,  as entidades sérias não trabalham com grande quantidade de dinheiro em caixa nem fazem balanço patrimonial. O Acqua teria condições de oferecer a garantia. Do final de março até ontem, o Governo do Estado já repassou R 29,760 milhões para a gestora do hospital de Ponta Porã.

A Secretaria Estadual de Saúde não se manifestou sobre as suspeitas de direcionamento no certame milionário. Por meio da assessoria de imprensa, Geraldo Resende limitou-se a informar que a licitação foi suspensa para a realização de “ajustes”. Não houve detalhamento sobre quais adequações serão realizadas.

O Governo informou que 18 organizações sociais estão capacitadas para participar da concorrência, que fica suspensa e sem prazo para ser lançada.

O contrato é de R$ 54,3 milhões por ano. Como o contrato é pelo período de 60 meses, o faturamento garantido será de R$ 270 milhões.

Adotada desde o primeiro mandato de Reinaldo Azambuja (PSDB), a gestão de hospitais por organizações sociais segue sem exemplo de sucesso. Houve fracasso da iniciativa em Chapadão do Sul e em Ponta Porã.

A meta de Resende é implantar o modelo no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian, uma mina de ouro para o setor, considerando-se o orçamento de R$ 360 milhões por ano. Em cinco anos, a Organização Social poderá faturar R$ 1,8 bilhão.

A saúde tem muito dinheiro para ser gerido e gasto. Os políticos só não conseguem acabar com a infinidade de problemas.

Deixe seu Comentário

TV MS

16 de agosto de 2019
Após 30 anos de espera região Norte da Capital recebe asfalto

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MSRua Rodolfo Andrade Pinho, 634
CEP 79090.050 - Vila Taveirópolis
Campo Grande/MS
 (67) 99150.1270
Editorias
Institucional
Mídias Sociais
© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma