05 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 16º

Agências lotéricas querem reajuste de 10% para quebra de caixa

Os empregados das agências lotéricas do estado de Mato Grosso do Sul reivindicam com a classe patronal o aumento de quebra de caixa de 5% para 10%, igualando-se a quebra de agências bancárias, agências de correios, dentre outras, de acordo com o CLT (Código de Legislação Trabalhista). As lotéricas prestam serviços para a CEF (Caixa Econômica Federal).

Estevão Rocha dos Santos, presidente do Seaac/MS (Sindicato dos Empregados de Agentes Autônomos do Comércio e em Empresas de Assessoramento, Auditoria, Perícias, Informações e Pesquisas de Empresas de Serviços Contábeis de Mato Grosso do Sul), explica que todo o funcionário que exerce a função de caixa recebe hoje em seu salário 5% a mais do valor para que, caso falte valor em seu caixa, será descontado desses 5%. Se não houver quebra no caixa o valor é dado como uma bonificação àquele que assume o risco de se encontrar na situação de caixa.

“Nós estamos lutando pela legalidade. Queremos os 10%”, afirma Estevão.  Hoje são cerca de 50 lotéricas em Campo Grande. Os patrões e empregados haviam chegado a um acordo sobre o reajuste de 8%. Caso a classe patronal não aprove a quebra de caixa de 10% os trabalhadores irão partir para dissídio coletivo.

Tayná Biazus