25 de novembro de 2020
Campo Grande 34º 24º

LEVANTAMENTO

Apenas uma em cada dez pessoas comprou presente para o Dia das Mães

Quarentena impõe Dia das Mães bem diferente em 2020

O Dia das Mães de 2020 será mesmo diferente. Para aqueles que não moram com os pais, a data está se caracterizando como sinônimo de saudade, distância e certa nostalgia. Já entre os que estão com suas mães em casa, a sensação é de união e gratidão. E como está a relação de consumo para a segunda data mais importante no calendário do varejo? A resposta a essa pergunta é revelada no estudo "Consumo no Dia das Mães em Tempos de Quarentena", realizado pela HSR Specialist Researchers, que mostra que apenas um em cada dez entrevistados já tinha comprado o presente na semana anterior ao Dia das Mães.

Segundo o estudo, que indica o comportamento dos consumidores em meio ao distanciamento social, ouvindo mães e filhos, 20% dos entrevistados adotarão o delivery para a entrega e somente 25% dos entrevistados lembraram de ter visto propaganda na TV ou na internet sobre a data, incluindo promoções, produtos especiais etc. Além disso, cinco em cada dez pessoas declararam que ainda devem realizar a compra de presentes, mas considerando os prazos de entrega dos sites, existe grande chance de não serem entregues a tempo.

"O Dia das Mães sempre trouxe a lembrança de família toda reunida. Já este ano, vários entrevistados nem lembravam que a data está chegando. Para muitos, não está acontecendo qualquer coisa, assim como passou a Páscoa, que nem foi percebida. Esse efeito de não viver o Dia das Mães também é influenciado pela falta de oportunidades de serem impactados por mídias outdoor e vitrines de lojas, por exemplo, ou mesmo campanhas na TV - tão fortes no período em anos anteriores", explica Valéria Rodrigues, sócia-diretora da HSR.

Após ouvir cerca de mil pessoas em todo o território nacional, por meio de painel online, entre 28 de abril e 2 de maio, o levantamento aponta O Boticário, Vivo e Natura como as marcas mais lembradas e, no caso dos varejistas, se destacaram Magazine Luiza, Lojas Americanas, Casas Bahia, Renner e Riachuelo. Os produtos mais comprados são, na ordem, perfumes, itens de vestuário, eletroeletrônicos/eletrodomésticos, chocolates e celulares. O gasto médio é de R? 260, valor igual ou inferior ao despendido em 2019 por 60% dos entrevistados.

A quarentena tem sido um período de extrema sobrecarga, com as pessoas absorvendo toda a rotina da casa e da escola dos filhos, além do trabalho. Para as mães entrevistadas, o grande presente, passando o isolamento social, será um tempo para elas. "Este pode ser um caminho a ser explorado pelas marcas na retomada", defende a diretora.

Virtual agora, presencial depois - O estudo mostra que 40% dos entrevistados moram com suas mães. Entre os que moram em casas diferentes, 54% pretendem organizar chats online. Com o distanciamento social, o jeito é utilizar aplicativos que possibilitam estarem juntos.

"A suspensão do Dia das Mães de 2020, associado ao sentimento de saudade e preocupação com saúde, pode nos trazer uma oportunidade de reencontros pós-quarentena. Nesse cenário, o levantamento indica que reencontros para presentear e celebrar a vida acontecerão somente a partir de junho", afirma Valéria.

Período de reflexão - Atualmente, as relações com as mães parecem ser ressignificadas e valorizadas. Jovens, que ora vivenciavam rotina distante e corrida, acabaram compelidos a rever comportamentos para garantir convivência mais harmônica, pois não há outra opção. Já os maduros, que não moram com os pais, passaram a ligar com maior frequência e usar principalmente as redes sociais e ferramentas de mensagens instantâneas.

O levantamento também apurou, entre as mães, que o desejo de usufruir mais tempo com as crianças encontrou espaço com a quarentena, bem como o resgate de alguns hábitos, como cozinhar. Muitas delas afirmaram que até gostaram de cozinhar para a família, mas não querem que isso seja uma obrigação. Além disso, apontam que fazer a tarefa escolar e estudar com as crianças têm sido uma boa forma de atingir uma meta que tinham para este ano, que era a de melhorar a relação com os filhos e de se conectar mais a eles.

"As pessoas ouvidas gostariam de dar o recado às mães para que elas se cuidem, não saiam de casa, tenham paciência, que tudo vai passar e, acima de tudo, gostariam de agradecer por todo amor e dedicação", conclui Valéria.