21 de outubro de 2021
Campo Grande 31º 17º

FEMINICÍDIO

Acusado de matar mulher a tesouradas é condenado a 17 anos de prisão

Robinho matou a vítima por não aceitar o fim do relacionamento

A- A+

Roberson Batista da Silva, conhecido como Robinho, 33 anos, foi condenado a 17 anos de prisão, por matar a ex-namorada, Mayara Fontoura Holsback, 18 anos, a tesouradas. Julgamento foi realizado nesta quinta-feira (1º), pela 1ª Vara do Tribunal do Júri. Crime aconteceu no dia 15 de setembro de 2017, no bairro Universitário, em Campo Grande.

De acordo com o processo, Roberson e Mayara namoraram por cerca de três anos e passaram a morar juntos. Robinho foi preso em 2015, por matar uma pessoa. Em dezembro de 2016, Mayara rompeu o relacionamento, mas continuou a visitar Batista na prisão.

Por não aceitar o fim do relacionamento e por ter ciúmes da mulher, o acusado ligava para ela e para a família e os ameaçava de morte, caso o ex-casal não reatasse. Depois de sair do presídio, Roberson foi até a casa de Mayara, onde, após relação sexual, acabaram discutindo por ciúmes.

O acusado então deu uma cabeçada contra o rosto da vítima, segurou seus braços e, com uma tesoura, a golpeou por diversas vezes. A jovem foi encontrada nua sobre a cama com parte do corpo coberto com edredom.

O réu foi pronunciado pelo crime de homicídio qualificado por motivo torpe e feminicídio.

No julgamento, Ministério Público pediu a condenação nos termos da pronúncia. Já a defesa sustentou as teses de legítima defesa, reconhecimento do homicídio privilegiado e o afastamento das qualificadoras.

O Conselho de Sentença reconheceu a materialidade e a autoria do delito e as qualificadoras, sendo o acusado condenado pelo crime de homicídio doloso, qualificado por motivo torpe e pelo feminicídio.

O juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida leu o veredicto que condenou o acusado a 17 anos de reclusão pelo feminicídio qualificado.