28 de outubro de 2020
Campo Grande 28º 21º

Bruno morto

Após clube desistir de contratação, advogada diz que pessoas querem ver Bruno morto

“Querem ele morto, isso não é pena, não é algo civilizatório. Deus perdoa, a sociedade não"

Após a desistência do Operário de Várzea Grande (MT) em contratar o ex-goleiro Bruno, na quarta-feira (22), a advogada Mariana Migliorini lamentou a decisão do clube.

Os empresários do time, segundo ela, voltaram atrás nas negociações por causa da “repercussão social”.

“Querem ele morto, isso não é pena, não é algo civilizatório. O Bruno já pediu perdão, cumpriu a pena. Deus perdoa, a sociedade não”, afirmou ao jornal O Tempo, de Minas Gerais.

De acordo com a advogada, o goleiro ficou “extremamente triste, sem dormir e sem comer” quando soube da desistência da contratação.

Ele foi condenado a mais de 20 anos de prisão pelo sequestro, assassinato e ocultação de cadáver da ex-namorada e modelo Eliza Samudio, ocorrido em 2010. Bruno cumpre sua pena no regime semiaberto.