24 de setembro de 2020
Campo Grande 34º 20º

SOCIAL

Bolsonaro congela Bolsa Família e fila de espera chega a 3,5 milhões

Um dos efeitos do desmonte no programa social é o colapso financeiro das prefeituras

A redução no orçamento do Bolsa Família para 2020, aprovado pelo governo neoliberal de Jair Bolsonaro no final do ano passado, fez com que o programa social fosse congelado em diversas regiões do país. Com isso, a fila de espera para receber o benefício já acumula 3,5 milhões de pessoas, o que representa 1,5 milhão de famílias de baixa renda.

O levantamento foi feito pelo jornal Estado de S.Paulo, que revelou um aumento de três vezes na fila de espera em comparação com o início do governo. Em janeiro do ano passado, 494 mil famílias aguardavam pelo benefício.

Um dos efeitos do desmonte no programa social é o colapso financeiro das prefeituras, em especial de municípios de pequeno e médio porte. Sem o dinheiro do Bolsa Família, as pessoas passaram a exigir comida e outros auxílios das prefeituras. Parte delas voltaram a distribuir cestas básicas.

As regiões mais carentes do Brasil são as que mais sofrem sem acesso ao programa. Uma a cada três das cidades mais pobres do país não teve novos auxílios liberados nos últimos cinco meses, de acordo com levantamento da Folha de S.Paulo.