26 de outubro de 2020
Campo Grande 27º 22º

Injúria

Bombeiro é chamado de 'negro' e acusado acaba preso por injúria

Era para ser mais um atendimento comum a acidente de trânsito para o sargento do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, Clodoaldo Gomes da Silva. No entanto, o homem que o militar tentava preservar a vida, o chamou de 'seu negro, seu negrinho', ameaçou agredi-lo e a ocorrência terminou na delegacia de Polícia Civil, com prisão.

O acidente aconteceu por volta das 15 horas, deste domingo, dia 29 de dezembro, na avenida Rio Branco, uma das mais movimentadas de Corumbá, cidade localizada na região de fronteira com a Bolívia. O homem de 45 anos bateu o carro que dirigia em uma árvore, estava sozinho no veículo e recusou ser levado para atendimento médico.

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e o Corpo de Bombeiros estiveram no local como procedimento padrão e enquanto aguardavam a chegada da Polícia Militar, o condutor tentou fugir, ofendeu o sargento e já na delegacia, fez ameaça de morte a um policial.

"Ele queria atravessar a rua, uma via super rápida, a pé, cambaleando. Depois, queria sair com o carro, que estava com a frente destruída e inclinado a 30°. Se ele entrasse no carro, iria cair", conta Clodoaldo, de 44 anos, sendo metade deles como bombeiro.

Ao impedir que o condutor saísse, o sargento foi vítima da injúria racial. "Ele veio pra cima de mim e falou: seu negro, seu negrinho, se não deixar eu sair eu vou bater em você", lembra o bombeiro, que deu voz de prisão ao homem.

A PM chegou em seguida, o condutor não aceitou fazer o teste do bafômetro e saiu algemado do local. "Ele tem quase 2 metros de altura".

De acordo com informações do boletim de ocorrência, no batalhão de polícia, o condutor ainda ameaçou matar um cabo da PM. "Sua esposa vai ficar viúva. Se cuida que vou te encontrar na rua".

O homem afirmou aos policiais que estava ingerindo bebida alcoólica desde às 11 horas e foi verificado que ele não tem habilitação para dirigir.

Diante de toda a situação, o homem foi preso em flagrante por quatro crimes: Injúria racial, dirigir embriagado, resistência e ameaça. Ele foi ainda multado por dirigir sem habilitação.