26 de outubro de 2020
Campo Grande 27º 22º

Revitalização

Com revitalização, antiga rodoviária vai abrigar repartições municipais e praça de alimentação

A Prefeitura de Campo Grande já tem definido o plano de ocupação dos 6 mil metros quadrados  da antiga rodoviária, que receberá investimento de R$ 15,6 milhões, em obras de revitalização. Na manhã desta segunda-feira  o prefeito Marquinho Trad assinou convênio com a Caixa Econômica Federal para liberação dos recursos alocados junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional, a partir de emenda parlamentar do deputado federal Fábio Trad (PSD).

“Vencido o desafio de garantir os recursos, vamos trabalhar agora no detalhamento do projeto, lançar a licitação e começar a obra ainda no mês de junho de 2020”, declarou o prefeito Marquinhos Trad.

Segundo a diretora executiva de Planejamento e Projetos Especiais, Catiana Sabadin, a estrutura de  4.538 metros quadrados da antiga plataforma de embarque e desembarque dos ônibus interurbanos, que pertencem ao Município, será adaptada para receber várias repartições municipais. Haverá espaço para a  Guarda Municipal , a Central do IPTU,  setor de posturas da Semadur, área de atendimento aos mutuários da Agência Municipal de  Habitação e dos beneficiários dos programas sociais gerenciados pela Secretaria Municipal de Assistência Social.

O projeto em elaboração prevê a integração (por elevador e escada) entre o térreo e o piso superior da estrutura, que será fechada nas laterais que dão acesso para as ruas Barão do Rio Branco e Joaquim Nabuco.  A entrada da população e dos funcionários das repartições será por dentro da área do centro comercial. São 24 mil metros quadrados, divididos em 240 lojas que pertencem a 90 diferentes proprietários. Esta circulação de pessoas vai gerar um público potencial para os estabelecimentos comerciais, que a partir da revitalização, devem ser reabertos.

7Z2A4525 (Copy)Já a outra parte da estrutura, que passará por reforma, os 1.520 metros quadrados da antiga plataforma dos ônibus urbanos, na Rua Vasconcelos Fernandes, será adaptada para  receber pelo menos seis lanchonetes no formato food truck. O vão livre, onde os ônibus estacionavam, será reformado e adaptado para funcionar como uma praça de alimentação.  Todo o entorno do antigo terminal será recapeado, abrangendo as ruas Barão de Rio Branco, Vasconcelos Fernandes, Joaquim Nabuco e Dom Aquino.

Solenidade

A solenidade de assinatura do convênio para o repasse de recursos teve a participação de representantes dos comerciantes, vereadores Chiquinho Teles, Enfermeira Cida e Odilon de Oliveira Júnior,  do autor da emenda parlamentar, deputado federal Fábio Trad (PSD), do secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese e de Catiana Sabatin, diretora Executiva de Planejamento  e Gestão Estratégica.

O deputado federal Fábio Trad, que apresentou a emenda parlamentar ainda na legislatura passada (em outubro de 2018), destacou  que  a bancada federal foi decisiva para a liberação dos recursos. Na avaliação do parlamentar, as obras de revitalização, “vão representar um choque civilizatório desta região histórica da cidade, hoje degradada, transformada em espaço de prostituição, tráfico de drogas, por onde perambulam dependentes químicos”.

A síndica do condomínio Heitor Eduardo Laburu, Rosane  Nelly Lima, mostrou-se emocionada ao lembrar que a assinatura do convênio, simbolicamente, representa o começo da realização de uma reivindicação que ela e outros comerciantes do antigo terminal estão engajados há mais de 10 anos.

“A revitalização vai recuperar e valorizar não só o centro comercial, mas sobretudo, o Bairro Amambai, uma região histórica de Campo Grande”. Ela está convencida de que os proprietários, diante da perspectiva da iminente revitalização, vão investir na reforma do prédio, reabrir seus negócios. “O primeiro sinal já foi dado. Muitos deles aproveitaram o último Refis para renegociar e pagar o IPTU em atraso”, contou.

A mesma confiança é demonstrada pelo comerciante,  Paulo Pereira, que  há mais de 40 anos mantém uma ótica na antiga rodoviária e  aluga outras 4 lojas. “Mais do que nunca,o sentimento é de esperança de que aquele espaço voltará a ser um centro comercial importante da cidade”, acredita.