02 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 23º

PANDEMIA

Comércios de MS que deixarem pessoas entrar sem máscara podem perder alvarás

Aumento do contágio motivou publicação de decreto que endurece as regras no Estado

Decreto torna obrigatório o uso de máscara de proteção individual em todas as cidades de Mato Grosso do Sul, a partir da próxima 2ª-feira (22.junho), a nova regulação está publicado no Diário Oficial do Estado desta 6ª-feira (19.junho). Entre as determinações, o documento estabelece que os responsáveis por órgãos, instituições e entidades públicas, estabelecimentos privados acessíveis ao público e meios de transporte coletivo intermunicipal e interestadual que deixarem que alguém entre ou fique em locais públicos e privados sem máscara estarão sujeitos a penalidades previstas no Código Sanitário do Estado, que prevê a interdição do estabelecimento onde ocorrer o fato e até cancelamento do alvará de funcionamento.  

Antes de punições mais severas, conforme o documento, há as advertência de caráter educativo, suspensão de venda ou fabricação, cancelamento de registro, e finalmente a interdição, que pode ser parcial ou total, e pode provocar até o cancelamento de alvará ou licença, proibição de propaganda, multa e até intervenção, no caso de estabelecimento de prestação de serviços de interesse para a saúde.

O Governo de Mato Grosso do Sul disse que irá distribuir 2 mil máscaras para a população de MS. A primeira compra, de 1.500 unidades, já foi feita e a entrega do primeiro lote, de 100 mil unidades, deve acontecer até o dia 26 deste mês de junho, mas pode ser antecipada. A entrega dessas 1,5 mil unidades será feita em três etapas. Outras 500 máscaras, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, serão adquiridas de costureiras e microempresários, para fomentar a economia local.

A decisão de tornar o uso obrigatório foi motivada pelo aumento no número de casos de Covid-19 em Mato Grosso do Sul. Mesmo tendo os menores índices de contaminados e mortes do país, os levantamentos mostram que a população não está respeitando o distanciamento social e que, nos últimos 30 dias, os casos confirmados no Estado cresceram sete vezes. Até ontem (18.junho), Mato Grosso do Sul já tinha mais de 4,2 mil casos confirmados e 39 mortes.

A exigência do equipamento de proteção também vale para órgãos e entidades públicos estaduais. As máscaras podem ser artesanais ou industriais, desde que cubram a boca e o nariz. De acordo com o decreto do governador Reinaldo Azambuja e do secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, os estabelecimentos poderão impedir a entrada de pessoas sem a proteção facial ou oferecer máscara de proteção, condicionando o uso do equipamento à permanência no local.

O mesmo vale para as empresas de transporte público coletivo intermunicipal e interestadual, que deverão atuar em colaboração com o Poder Público na fiscalização do uso das máscaras e poderão proibir nos terminais e meios de transportes a entrada de pessoas sem a proteção.

A publicação determina ainda que órgãos, instituições e entidades públicas coloquem cartazes informativos sobre a obrigatoriedade e a forma adequada de uso da proteção individual.

Foto: retirada da internet do site - PB Agora