28 de novembro de 2020
Campo Grande 36º 23º

14 de Julho

Consulta popular sobre como “movimentar” a 14 de Julho termina dia 15 de Março

Quem ainda não participou, corre que dá tempo. Encerra-se daqui a onze dias a consulta com a população de Campo Grande sobre as ações que podem ser realizadas na Rua 14 de Julho requalificada. É só entrar no site viva14.com.br, contar a sua ideia e pronto, você já estará ajudando a construir um local mais vibrante, com mais vida.

O lançamento do site, em fevereiro, faz parte do trabalho de consultoria da empresa Places for Us, contratada pelo Sebrae dentro do Programa Reviva Campo Grande. Além da plataforma, outras ferramentas de comunicação com o público estão funcionando. No Instagram, o endereço é @viva14.ms e no Facebook, o Viva 14. Com base nesse levantamento, será elaborado um documento com diretrizes do que pode ser feito na Rua 14 de Julho. Esses dados serão repassados à Prefeitura Municipal para servir de norteamento de novas ações.

A plataforma de cocriação é mais um passo da consultoria que ouviu, ao longo de uma semana, grupos de públicos específicos como mulheres, crianças, idosos, pessoas com deficiência, jovens e lideranças, onde cada um contribuiu com ideias. A equipe também coletou, direto na 14 de Julho, sugestões de quem andava por lá.

Cultura

Algumas ações já estão acontecendo na 14 de Julho. As apresentações culturais aos domingos, com a via fechada para carros, começaram no dia 02 de Fevereiro. De lá para cá, vários grupos e artistas ocuparam a via com estilos musicais variados. Do rock ao sertanejo, do samba ao folk. Já passaram Chicão Castro, a dupla sertaneja Hugo e Vítor, Banda Capitã Júpiter e o Grupo Samba 10. Dia 8 de Março é a vez da Dama do Rasqueado, Delinha, e do Grupo Acaba.

No dia 9 de Fevereiro, o grupo Samba 10 levou um repertório animado para a região. Para o músico Cássio Vinícius Augé Corrêa, a iniciativa de reavivar o centro, levando arte para a rua, mostra como Campo Grande é linda e pode ser ainda melhor com ações como esta. “Considerando em especial a música, a cultura popular, poder mostrar nosso trabalho diretamente na rua, cara a cara com o público, é uma experiência única que nos motiva ainda mais, nos enche de orgulho e esperança em tempos melhores”, diz Cássio.