02 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 23º

ARTIGO

É hora de distribuir (e usar) máscaras

A máscara não serve de nada se não for utilizada adequadamente

Chegou a hora de enfrentar a Covid 19 no Centro-Oeste. Até agora, o número de casos era pequeno e havia um certo relaxamento das populações da região. Em Mato Grosso do Sul, por exemplo, a preocupação principal era com os casos importados, de pessoas que vieram para o Estado e trouxeram a doença. Mas ela acabou se alastrando.

Nós, da CCR MSVia, estávamos focados em apoiar os caminhoneiros, profissionais que circulam pelo País e enfrentam toda a sorte de dificuldades, desde a falta de locais onde possam se alimentar, até a exposição ao contágio dadas as características de seu trabalho.

Montamos postos avançados de orientação e atendimento para os motoristas profissionais em Naviraí (km 128), Rio Brilhante (km 331) Campo Grande, km 478, São Gabriel do Oeste (km 629) e Coxim (km 778). Além disso, realizamos ações pontuais com o SEST-SENAT (Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte) e com a PRF (Polícia Rodoviária Federal).

Em nosso esforço de apoio aos caminhoneiros, realizamos mais de 45 mil ações na rodovia, até agora, com a distribuição de kits de alimentação e higienização pessoal, oferta de etiquetas de pedágio eletrônico com isenção de taxas adicionais, desinfecção de cabines de caminhões, atendimentos médicos e vacinação, entre outros.

Entretanto, a disseminação do novo coronavírus na região Centro Oeste exige uma ação mais ampla. Por isso, a MSVia, em conjunto com o Instituto CCR, inicia a distribuição gratuita de máscaras individuais de pano (reaproveitáveis, depois de lavadas) para usuários em geral, a partir de cidades do Interior do Estado servidas pela BR-163/MS, onde a proliferação da doença é mais intensa. 

Essa ação se inicia por Dourados, epicentro da doença em Mato Grosso do Sul, e deve se estender para outras cidades que margeiam a rodovia. Já distribuímos cerca de 3 mil máscaras produzidas pelo Instituto CCR para caminhoneiros, de um total de 20 mil unidades confeccionadas sob patrocínio do Grupo CCR para Mato Grosso do Sul.

Essa iniciativa é uma pequena contribuição para buscar proteger as populações do Estado contra o novo coronavírus. Mas de nada adiantará se os sul-mato-grossenses não se conscientizarem de que é fundamental o uso apropriado desse recurso.

A máscara não serve de nada se não for utilizada adequadamente. Precisa estar limpa, higienizada e seca, e deve cobrir nariz e boca simultaneamente. As pessoas devem utilizá-la a partir do momento em que saírem de casa e pararem de usar somente quando voltarem para casa.

As máscaras devem ser deixadas de molho em uma solução que misture 5% de água sanitária a 95% de água corrente, por cerca de 30 minutos. Depois disso, devem ser lavadas e colocadas para secar. Não podem ser reutilizadas enquanto estiverem molhadas.

Por falta de prática e um pouco por vergonha, muitas pessoas não estão utilizando máscaras em várias cidades do Estado. Isso é compreensível, mas tem que acabar. Todos precisamos utilizar máscaras quando estivermos fora de casa, para reduzir ao máximo os riscos de contaminação.

Use máscara e proteja-se!

AUTOR: (*) Luiz Fernando V. De Donno é engenheiro civil com MBA em Gestão Empresarial e atua como Gestor de Atendimento da CCR MSVia.