30 de novembro de 2021
São Paulo 39º 24º

Epidemia se alastra e Mato Grosso do Sul registra 12.219 casos suspeitos de dengue em 2016

A- A+

Mato Grosso do Sul registrou até dia 30 de janeiro de 2016, 12.219 casos suspeitos de dengue. A informação consta no Boletim Epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (3) pela Secretaria de Estado de Saúde. Apenas na semana entre dias 23 e 30 de janeiro, foram registrados 1.804 casos suspeitos.

Os números mostram realidade de um Estado que sofre com epidemia da doença. Recentemente, no dia 28 de janeiro deste ano, o governo estadual decretou estado de emergência durante 180 dias devido ao aumento do número de casos suspeitos da doença, e também da febre chikungunya e do zika vírus.

No caso da dengue, dos 79 municípios do Estado, 39 se enquadram na categoria de alta incidência da doença, o que significa que há registros de pelo menos 300 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. No topo da lista dos municípios com maior incidência da doença, está Dois Irmãos do Buriti, com 172 casos notificados em uma população de 10.793 habitantes. Em segundo lugar está município de Deodápolis, com 175 casos notificados dentre 12.524 habitantes. Campo Grande aparece em na 17ª posição com 5.464 casos notificados no universo de 832.350 habitantes. 

A dengue já fez duas vítimas este ano na Capital onde duas meninas, uma de 16 e outros de 9 anos morreram por conta da doença. A velocidade com que dengue tem se espalhado pela Capital levou o Ministério Público Estadual a emitir recomendação, publicada no Diário Oficial do órgão, desta quarta-feira (3), direcionada à Prefeitura de Campo Grande solicitando que Município não economize e utilize todos recursos necessários para garantir realização de ações de combate aos focos de criação de mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, e também atendimento à população, que tem amargado em filas nas unidades de saúde da Capital. No interior do Estado, há dois óbitos em investigação Um em Caarapó e outro em Ponta Porã. 

Entre as principais medidas adotadas pela governo do Estado assim como pelas prefeituras é realização de campanhas educativas orientando população a manter terrenos e imóveis limpos, sem entulhos e principalmente sem locais onde possa haver acúmulo de água, pois estes são principais pontos de criadouros do mosquito.

Febre Chikungunya

Já os casos da febre, também transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, são bem menores. Em todo Estado, foram registrados de 1 de janeiro até 3 de fevereiro de 2016, 16 notificações de casos suspeitos, porém, nenhum ainda foi confirmado. Do total de notificações, dez são em Aquidauana, dois em Corumbá, dois em Bodoquena, um em Miranda e um em Dourados.