20 de outubro de 2020
Campo Grande 30º 21º

CARNAVAL 2020

Grávida, rainha de bateria do Aero Rancho é alvo de ataques nas redes sociais

Aos 9 meses de gestação, Elysa Cerqueira desfilou na primeira noite do Carnaval em Campo Grande

Em desfile na noite passada (24), a Unidos do Aero Rancho, Unidos do Cruzeiro e Cinderela Tradição, foram as escolas de samba que abriram o Carnaval 2020, em Campo Grande. O desfile que aconteceu ao lado da Praça do Papa e levou ao público campo-grandense reflexões sobre o papel da imprensa, jogos e a história do folclore brasileiro. Apesar da festança, houve polêmica sobre grávida de 9 meses desfilando. 

A Unidos do Aero Rancho teve rainha da bateria mulher grávida de 9 meses sambando, Elysa Cerqueira, de 22 anos. Apostando no enredo sobre a comunicação e os comunicadores. A Escola contou com comissão de frente que levou a história da comunicação através do tempo, por meio de coreografias e encenações.  A escola do Aero Rancho foi destaque nessa manhã nas redes sociais após tornar-se polêmica na página do"> Campo Grande News, pelo fato de a Rainha de Bateria estar grávida.

Leitores manifestaram-se a favor e contra a situação de Elysa estar grávida sambando: “Depois quer minha vaga no ônibus”, “Aí não pode esperar na fila da lotérica”, “Direito não muda, porque ela desfilou”, foram alguns dos comentários. A grande maioria dos ataques partiu do público masculino, apesar de esse não ter experiência com gestação, no entanto, alguns ataques evoluíram aos redes sociais das irmãs de Elysa, que prontamente a defenderam no post. 

Para entrar na passarela do samba. “Eu sou independente, trabalho e fiz acompanhamento médico para estar no samba. Temos ultrassom marcada, não me preocupo com as agressões verbais. O que me deixa indignada é as mulheres que não apoiam as outras. Não quis generalizar as gestantes, só quis refletir que gravidez não é doença”, explicou.

Foto: Endrews Feik.  

“Triste é ver como o ser humano é capaz de dizer tantas barbaridades, generalizam as grávidas, me atacam por machismo, como se não fossem exercer os direitos de preferência... O grande ponto de debate é que, ‘- vou tomar o lugar de alguém’, como se aquele direito não estivesse ali”, rebateu Elysa. 

Ainda segundo Elysa, ela já esperava os ataques por parte do público masculino, no entanto, a rainha de bateria disse que está feliz e realizada e que sua bebe passa muito bem. 

A escola, localizada próximo ao Parque Ayrton Senna no bairro Aero Rancho, enfrentou ainda problemas técnicos. Uma águia, feita em prata, com aproximados 1,5 metros de altura, 3,5 de largura e 2,5 de comprimento, feita e ferro e que mexe as asas acabou não sendo utilizada no desfile, pois o guincho acabou indo embora, o que não permitiu que bicho fosse colocado sobre o carro abra alas.

Porém, segundo os próprios carnavalescos, o desfile foi bonito porque há um momento em que “se usa a voz do coração” para levantar a energia e fazer com que nada apague o sorriso durante os 60 minutos de trajeto pela Passarela do Samba.

A neném, alvo dos comentários, deve nascer em 23 de março, e se chamará Eduarda Cerqueira Vogado. Elysa finalizou a reportagem explicando que trabalha e não usa ônibus coletivo. “Estou bem tranquila, vou ganhar ela pelo plano [saúde]. Sabendo que não coloquei Eduarda em risco, fiz todo acompanhamento necessário e sambar não significa que estou deixando de ser responsável”, ressaltou.