22 de abril de 2021
Campo Grande 29º 18º

CRAS

Investimento em assistência social ajuda municípios a criar brinquedotecas para atender crianças

Cada município recebeu o valor de R$ 5 mil para montar sua estrutura

A- A+
 

Recursos investidos em assistência social no Mato Grosso do Sul possibilitou que 33 municípios criassem brinquedotecas nas unidades dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), para atender crianças carentes e em situações vulneráveis.

As aquisições e montagem das brinquedotecas fazem parte do projeto "Casa do Brincar", desenvolvido pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), que no ano passado disponibilizou mais de R$ 250 mil para criação de 51 estruturas com esta finalidade.

"O projeto já estava em funcionamento desde 2015 e foi se desenvolvendo ao longo dos anos, chegando nesta fase da aquisição das brinquedotecas, onde foi repassado os recursos aos municípios, para que eles comprassem os materiais e montassem as estruturas para crianças até seis anos de idade", explicou coordenadora de Apoio a Gestão do Sistema Único da Assistência Social (CAGSUAS) da Sedhast, Taciana Silvestrini.

Cada município recebeu o valor de R$ 5 mil para montar sua estrutura. "Além do recurso, também houve a capacitação das equipes, para que o local tivesse vínculos e brinquedos lúdicos e pedagógicos e assim cada cidade montou o seu kit, tendo a preocupação para também incluir as pessoas com deficiência", disse Silvestrini.

A coordenadora destacou que cabe a unidade desenvolver as atividades com as crianças, sejam elas programadas ou quando vão até ao Cras para o atendimento a família. "São muitas ações que podem ser realizadas, para ajuda-las (crianças) na coordenação motora, foco e concentração".

Brinquedoteca de Porto Murtinho

Unidades

Entre as brinquedotecas está a do Cras de Amambai, que foi criada em outubro, mas que só em novembro ficou disponível para as crianças em função da pandemia. "Já começamos a usar o espaço, que é direcionado para as crianças que estão em situação vulnerável, sempre dispondo das medidas de biossegurança", explicou a assistente social do local, Andressa Hermann.

Ela contou que a estrutura foi personalizada com joguinhos para desenvolver a coordenação motora das crianças, e que o local já fica em um bairro da periferia, que atende famílias carentes. "Quando os pais buscam o atendimento, aproveitamos para levar as crianças para o espaço".

Em Porto Murtinho, o espaço também foi implantado ano passado, mas está suspenso a espera de liberação devido a covid-19. "Ainda não foi usado, mas está preparado para atender as crianças que já estão em acompanhamento pela assistência social e vai nos ajudar muito", disse Josiane Abadie, técnica da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Brinquedoteca do Cras de Amambai

A assistente social do Cras de Camapuã, Aparecida Dhi Benedetto,  destacou que em novembro a brinquedoteca já estava pronta e terá sua finalidade cumprida na cidade. "Ficamos muito felizes com este investimento, é uma alegria muito grande contar com estes equipamentos".

A secretária municipal de Assistência Social de Caracol, Célia Viais, também afirmou que esta contribuição é muito importante e a estrutura será usada no momento adequado. "A pandemia atrapalhou um pouco a programação, mas a brinquedoteca está pronta e ficamos encantados com os brinquedos, que servirão de aprendizado às crianças".

Toda a ação de deliberação do projeto, bem como a escolha dos municípios, e seus detalhes, foram discutidos pelo Conselho Estadual de Assistência Social e a Comissão Intergestores Bipartite (CIB/MS).

"Estamos num momento de pandemia em que muitas atividades devem ser repensadas, mas temos a certeza que essas brinquedotecas estarão em sua total funcionalidade disponíveis para a população. Muito bom ver que os municípios puderam executar esses planos e implantarem esse benefício população atendida no Cras", afirmou a titular da Sedhast, Elisa Cleia Nobre.

Leonardo Rocha, Subcom

Fotos: Divulgação 

Fonte: Governo MS