02 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 23º

EXAME NACIONAL

Mesmo com a pandemia e riscos, Enem abre inscrições nesta 2ªfeira

A preocupação de docentes com o Exame Nacional envolve o risco de agravamento das desigualdades educacionais

Estudantes interessados em fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 já podem se inscrever a partir desta 2ªfeira (11.maio) até 22 de maio, à prova que será em duas modalidades, a presencial dias 1º e 8 de novembro e as digitais que devem acontecer também em duas datas, em 22 e 29 de novembro. Quem se inscrever em uma modalidade não pode se inscrever na outra. Se escolher a digital, ou a impressa, não é possível mais trocar a opção, segundo Ministério da Educação (MEC).

Ainda segundo o MEC, a estrutura dos exames serão as mesmas nas duas opções: quatro provas objetivas, constituídas por 45 questões cada, e uma redação em língua portuguesa. Durante o processo de inscrição, o participante deverá selecionar uma opção de língua estrangeira - inglês ou espanhol.

Neste ano, será obrigatória a inclusão de uma foto atual do participante no sistema de inscrição, que deverá ser utilizada para procedimento de identificação no momento da prova. O valor da taxa de inscrição é de R$ 85 e deverá ser pago até 28 de maio.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), todos os participantes que se enquadrarem nos perfis especificados nos editais, mesmo sem o pedido formal, terão isenção da taxa. A regra vale tanto para os participantes que optarem pelo Enem impresso quanto para os que escolherem o Enem digital e se aplica, inclusive, aos isentos em 2019 que faltaram aos dois dias de prova e não tenham justificado ausência.

Portanto, no ato da inscrição para o Enem 2020, terão isenção de taxa os candidatos que estejam cursando a última série do ensino médio este ano, em qualquer modalidade de ensino, em escola da rede pública declarada ao Censo da Educação Básica; tenham feito todo o ensino médio em escolas da rede pública ou como bolsistas integrais na rede privada e tenham renda per capita familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio; ou declarem estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por serem membros de família de baixa renda e que estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), que requer renda familiar per capita de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

A consulta aos resultados dos pedidos de recurso para a isenção de taxa de inscrição do Enem, os interessados devem acessar a Página do Participante, no aplicativo ou no site do Enem, e conferir as informações.

DESIGUALDADE 

Escolas públicas e universidades pediram o adiamento das provas, sob o argumento que muitos inscritos não terão condições de se preparar adequadamente, especialmente aqueles com poucos recursos tecnológicos ou mesmo não tem internet em casa. Mesmo assim, o ministro da Educação Abraham Weintraub, descartou, por ora, discutir uma mudança de calendário, mesmo diante do grande impacto negativo à preparação dos alunos ao Exame, provocado pela pandemia do novo coronavírus. 

A preocupação desses docentes com o Exame Nacional envolve o risco de agravamento das desigualdades educacionais, devido ao aluno com menor acesso à meios, ter o desempenho comprometido. 

A maioria dos países adiou exames de acesso à universidade, como é o caso do Enem. Só cinco países de 19 com provas similares, mantiveram o cronograma, segundo levantamento do Instituto Unibanco.

A observação dos professores é a de quê,  todas as redes estaduais de ensino, que concentram mais de 80% dos alunos de ensino médio no país, interromperam aulas. Como estudantes mais pobres enfrentam maiores dificuldades para estudar com as escolas fechadas, terão menores chances no Enem.

*Com Agência Brasil.