02 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 23º

CORONAVÍRUS

Morreu hoje aos 73 anos, Aldir Blanc, gênio e maior letrista da MPB

Um dos maiores cronistas das mazelas e alegrias do país, ele deixa 500 canções, entre elas 'O bêbado e a equilibrista' e 'Resposta ao tempo'

Entre os maiores nomes compositores da música popular brasileira estava Aldir Blanc, que morreu hoje, 2ªfeira (4.maio) no Hospital Pedro Ernesto, no Rio de Janeiro, onde estava internado com coronavírus. A informação foi divulgada pela Rádio Tupi.

Com infecção generalizada em decorrência do novo coronavírus, Aldir Blanc estava internado no CTI do Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel, desde o dia 15 de abril.  Autor de “O Bêbado e o Equilibrista”, imortalizada na voz de Elis Regina, entre dezenas de outras composições, Blanc, de 73 anos, foi diagnosticado com Covid-19 no dia 23 de abril.

O compositor deu entrada no CER Leblon, no dia 10 de abril, com infecção urinária e pneumonia. Ele chegou a ser entubado em uma sala da unidade de saúde por falta de vagas em UTI. Apenas no dia 20, a família conseguiu transferi-lo para um leito de terapia intensiva no Pedro Ernesto.

Em mais de 50 anos de carreira, todos dedicados às letras — seja como compositor, escritor ou cronista —, Aldir escreveu cerca de 500 canções, sem contar outras centenas nunca gravadas ou perdidas. Além de Bosco, criou músicas com nomes como Guinga, César Costa Filho, Jayme Vignolli, Hélio Delmiro, Djavan, Cristóvão Bastos (com quem fez o clássico "Resposta ao tempo", sucesso na voz de Nana Caymmi), Edu Lobo e Sueli Costa.

Fonte: O GLOBO.