01 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 24º

PETS

Pesquisadora de MS dá dicas de como cuidar de seu melhor amigo durante a pandemia

A médica veterinária e doutora em ciência animal, Juliana Galhardo, tem se debruçado sobre o tema nas últimas semanas

Com a pandemia do novo coronavírus muitas dúvidas começaram a permear a cabeça dos pais e mães de pets. Com um vírus completamente novo e com poucos estudos até o momento, muito tem se falado sobre os perigos de contaminação de cães e gatos e quais as precauções que os tutores devem ter neste momento.

A médica veterinária e doutora em ciência animal, Juliana Galhardo, tem se debruçado sobre o tema nas últimas semanas e garante que os dados e informações ainda são muito novos e em constante modificação.

“Ainda sabemos pouco sobre a contaminação de cães e gatos com o novo coronavírus, os estudos ainda são muito recentes e carecem de maior análise, porém, o que temos até o momento pode tranquilizar um pouco os pais e mães de pets”, garante.

De acordo com a veterinária, até o momento, estudos no mundo vêm mostrando que cães e gatos não transmite o vírus para os seres humanos. “Ainda não temos nenhuma comprovação que estes animais possam infectar seus tutores, porém, do contrário pode ser que aconteça”, afirma.

A doutora em ciência animal indica que pessoas que testarem positivo para a Covid 19, na medida do possível, tentem se isolar inclusive de seus pets evitando contaminá-los. “Estudos mostram que nós, seres humanos, podemos sim transmitir o vírus para os pets – principalmente para os gatos. Ainda há poucas pesquisas sobre a ação do vírus no organismo destes animais, porém sabe-se que estes podem ficar doentes”, garante.

A veterinária alerta para a necessidade de proteger os animais. “Neste momento de tantas dúvidas é normal as pessoas ficarem com medo, mas não é normal abandonar seu animal, até porque não existe nenhum indício de contaminação humana por meio de cães e gatos. Abandonar Nunca!”, frisa Juliana.

CUIDADOS EXTRAS

Ainda que pesquisas mostrem que cães e gatos não transmite o vírus para os humanos, estes podem servir como superfície já que o vírus pode sobreviver um tempo considerável no ambiente. Sendo assim, a veterinária orienta que os tutores tenham alguns cuidados extras, como a higiene após o passeio.

“É recomendado que durante o passeio evite-se a aglomeração, nada de encontrar-se com outras pessoas e animais. Não demorem, faça o passeio com o animal e voltem para casa, sejam objetivos. Chegando em casa o recomendado é lavar as patinhas com água e sabão, e enxugar depois para evitar fungos”, finaliza a doutora.