27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

REVITALIZAÇÃO

População comemora retirada dos últimos postes na nova 14 de Julho

"A visão ficou melhor, estava muito sujo antes, parecia uma favela, tem que conseguir fazer isso na cidade inteira, aí sim", disse a dona de casa, Valéria Barros, de 43 anos

Finalizadas as retiradas dos postes da 14 de Julho, na rua revitalizada que será entregue pela Prefeitura Municipal em evento no dia 29 de novembro. Na noite de ontem (21), a Energisa, empresa de distribuição e abastecimento de energia elétrica da Capital, finalizou a retirada dos últimos postes nas ruas Dom Aquino e Barrão do Rio Branco. Agora toda fiação na 14 de Julho é subterrânea.

Segundo moradores a iluminação do local “ficou linda”. Comerciantes contam que há presença de guardas municipais nas esquinas da rua. “Eles devem estar cuidando para evitar depredação”, comentou o comerciante de tecnológicos que tem estabelecimento na rua há mais de 10 anos.

Conforme a Energisa, foram cortados 96 postes e retirados mais de 11 quilômetros de fiação. Os trabalhos começaram no dia 06 desse mês, além dos postes na 14 de Julho, outros 43 foram removidos nas ruas que fazem esquina. 

A nova 14 de Julho é parte do programa Reviva Campo Grande e agora, com a modernização, ostenta cara de centro de comercial. Populares contaram ao MS Notícias, durante a tarde de ontem (21), que as plantas se misturando a estrutura sem as fiações deu um “ar” para a visão. “A visão ficou melhor, estava muito sujo antes, parecia uma favela, tem que conseguir fazer isso na cidade inteira, aí sim, tenho certeza que o prefeito tem vontade de melhorar nossa cidade, isso aqui rápido como foi é uma vitória”, comemorou, a dona de casa, Valéria Barros, de 43 anos. 

Além do grande avanço na estética, Campo Grande também é a primeira cidade de MS a adotar a rede “embutida”; redes subterrâneas são tendências nos países tecnológicos. “O principal destaque para a utilização dessa tipologia de rede é a eliminação dos cabos da rede elétrica, telefonia/internet, e também dos postes, que são responsáveis pelo grande impacto de poluição visual gerado nas áreas urbanas. Outro ponto importante é a confiabilidade do sistema, pois os componentes elétricos das redes subterrâneas não ficam expostos a eventos gerados por condições climáticas adversas, causadores de interrupção no fornecimento de energia elétrica. A revitalização da rua 14 de julho coloca Campo Grande no mesmo patamar que outras grandes capitais brasileiras, tais como São Paulo e Rio de Janeiro”, explicou o supervisor de distribuição da Energisa, João Ricardo Costa Nascimento.

Durante o fim de semana prolongado, houve instalação prévia de equipamentos de wifi, o que vai possibilitar internet rápida para quem passar pela 14 de Julho. Na parte do trânsito, foram instalados novos conjuntos semafóricos, além da execução de sinalização horizontal no pavimento, e vertical, como placas, postes e braços.

A inauguração da nova 14 de Julho está marcada para o dia 29 de novembro, a partir das 18 horas, e será aberta ao público com uma grande decoração de Natal e shows musicais. 

MONUMENTO 

O Prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), em visita ao Monumento Relógio na Rua 14 de Julho.  Foto: Reprodução/PMCG 

Feito em ACM, um material acrílico de alta durabilidade, e composto de chapas de alumínio, o relógio da 14 de Julho, que começou a funcionar no dia 08 desse mês, mostra também a temperatura e campanhas educativas, além da hora é claro. A primeira campanha exibida no relógio é a do Novembro Azul.

Projetado com perfis metálicos que reproduzem todos os detalhes do relógio original, a escultura é totalmente vazada, visualmente leve, mas ao mesmo tempo forte em seu simbolismo, esclareceu a prefeitura.  

MATERIAIS

Segundo a Energisa, desde o início, na etapa de definição do projeto, a empresa participou ativamente do processo no apoio às especificações dos equipamentos e filosofia da rede subterrânea, especificação dos ensaios de comissionamento, para garantir segurança e confiabilidade na operação e manutenção. “Os desafios futuros para a Energisa serão no viés de operação e manutenção, no intuito de sempre garantir para os clientes da 14 de Julho uma energia de qualidade, sem interrupções de fornecimento”, finalizou o supervisor.

REVIVA CAMPO GRANDE 

Além da requalificação de dez quadras da Rua 14 de Julho, entre as Avenidas Fernando Corrêa da Costa e Mato Grosso, o Reviva Campo Grande prevê investimentos nas vias transversais, que vão da Avenida Calógeras até a Rua Padre João Crippa, e da Avenida Fernando Corrêa até a Mato Grosso. As ruas terão intervenções no calçamento, pavimento, iluminação pública e paisagismo. Ainda está previsto o projeto de habitação no centro da cidade, que deve ter início em 2020.