20 de outubro de 2020
Campo Grande 30º 21º

Bom Retiro

Prefeitura realiza o sonho da casa própria de mais 23 famílias no Bom Retiro

Hoje é um dia de felicidade para 23 famílias que também terão a oportunidade de passar as festividades do final de ano de casa nova. A Prefeitura de Campo Grande entregou, nesta sexta-feira (20), mais 23 unidades habitacionais no loteamento Bom Retiro, que fazem parte do programa Ação Casa Pronta, uma iniciativa da Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (AMHASF) e Fundação Social do Trabalho de Campo Grande (Funsat), em parceria com o Governo do Estado.
 
“Esse projeto foi motivo de prêmio nacional. Nós realizamos o sonho da casa própria e também qualificamos os moradores para que eles tivessem, posteriormente, uma vocação para exercer no mercado de trabalho”, explicou o prefeito Marquinhos Trad.
 
No total, já foram entregues, neste loteamento, 90 unidades habitacionais totalmente readequadas, a fim de proporcionar moradias dignas a essas famílias que pertenciam a antiga comunidade Cidade de Deus. Das 136 casas que necessitavam de construção ou reparos estruturais, agora o programa entra em sua fase final nesta comunidade.
 
IMG-20191220-WA0083A previsão de entrega das 46 moradias restantes é até fevereiro de 2020. Os loteamentos José Teruel I e II, Jardim Canguru e Vespasiano Martins também integram o programa, que deverá atender a estas comunidades após a conclusão das obras no Bom Retiro.
 
“Estamos esperançosos, muito felizes. É uma vida nova que se começa hoje, com a realização deste sonho de receber esta  casa, porque há mais de 15 anos  a gente na espera. Estou muito feliz”, comemora Cláudia Vieira, 40 anos. A casa será moradia dela, do esposo e mais três filhos.
 
Priscila Delgado Luz, 21 anos, lembrou da dificuldade enfrentada até o grande dia, da conquista da casa própria. “Nós passamos por muita coisa. Não foi fácil chegar aqui, mas conseguimos. COm fé em Deus, muita luta, muito choro, muita lágrima, muita preocupação, mas chegamos. Sem palavras. É só agradecer a Deus por ter  nossa casa própria. É uma alegria saber que é nosso, dos filhos da gente”, comemorou.
 
O presidente da Associação de Moradores do Bom Retiro, Rogério Carvalho, elogiou o modelo adotado pela Prefeitura, qualificando os moradores, que construíram suas próprias casas. “É um resgate de autoestima, devolvendo dignidade para a população. A gestão tem se empenhado ao máximo para que isso aconteça. O prefeito Marquinhos Trad cumprindo com o seu dever como gestor público. Não basta só trazer a chave. Tem que trazer dignidade e é isso que a gestão vem desenvolvendo e dando para a população local”, observou.
 
Segundo o diretor-presidente da AMHASF, Enéas Netto, é preciso considerar que este prazo pode sofrer alterações, já que se trata de um canteiro-escola. “Nossa satisfação é de poder vivenciar uma nova realidade nesta comunidade do Bom Retiro que já está totalmente transformada. Entramos na reta final para a entrega das últimas unidades habitacionais que, finalmente, têm cumprido sua função de proporcionar dignidade e segurança a essas famílias. Mas em se tratando de um programa tão amplo, que reúne habitação com capacitação profissional, a mudança vai além, proporcionando desenvolvimento local e valorização plena do ser humano”, reiterou.
 
Ação Casa Pronta: referência nacional
 
Neste programa, os próprios moradores constroem suas moradias e aprendem uma nova profissão. Desde meados de 2018, os integrantes do Programa de Capacitação Profissional (Proinc) da Funsat, passam pela capacitação em diversos segmentos da construção civil, o que proporciona desenvolvimento econômico e social da comunidade.
 
No canteiro-escola, os 110 participantes do programa Ação Casa Pronta, reconhecido nacionalmente como projeto inovador pela ODS Brasil (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da Agenda 2030, promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU), são orientados a construir adequadamente as moradias sociais, sob orientação de técnicos, arquitetos e engenheiros, para assegurar a qualidade das construções e a manutenção das boas práticas em cada unidade habitacional de interesse social.