16 de abril de 2024
Campo Grande 24ºC

ARTE | CULTURA | CAMPO GRANDE

Resistindo e celebrando o Teatro, grupo Fulano Di Tal inaugura espaço no Centro

Indo na contramão do que faz o poder público, grupo abriu teatro à população campo-grandense e está com espetáculos em cartaz em Temporada especial

A- A+

Foram necessários 19 anos de trabalho artístico e muita resistência para o Grupo Fulano Di Tal conseguir inaugurar às 20h do sábado (5.mar.22), o próprio espaço teatral, na rua Rui Barbosa, 3099, Centro, em Campo Grande.

Indo na contramão do que faz o poder público, que fechou todos os teatros da cidade, o diretor e gestor do grupo, Marcelo Leite, de 45 anos, decidiu abrir o espaço alugado e montou uma programação especial para inauguração e em alusão ao “mês do Teatro e do Circo” — celebrado em 27 de março.  “São três espetáculos nesta temporada: ‘Uma Moça da Cidade’, ‘Guri Árvore’ e ‘Do Bem Amado’. A gente aliou duas ideias, inaugurar o espaço e comemorar o dia do teatro”, resumiu o diretor. 

Público assiste no sábado (5.mar.22) ao espetáculo teatral "Uma Moça da Cidade".  Foto: Tero QueirozPúblico assiste no sábado (5.mar.22) ao espetáculo teatral "Uma Moça da Cidade".  Foto: Tero Queiroz

De acordo com o idealizador, a ação chama-se “Temporada Popular do Teatro” — Teve início ontem — acontece neste dia 6 de março a 2ª apresentação e segue nos dias 12, 13, 19 e 20 de março, sempre às 20 horas, com 2 exibições de cada espetáculo.

Marcelo Leite ao lado dos atores ao final do espetáculo. Foto: Tero QueirozMarcelo Leite ao lado dos atores ao final do espetáculo. Foto: Tero Queiroz

É preciso reservar o ingresso antecipadamente, quanto ao valor. “Não tem [valor definido]. A pessoa dará uma contribuição espontânea. Ela vem e assiste ao espetáculo, no final ela é convidada a contribuir. A pessoa pode dar quanto ela quiser, de 1 centavo a R$ 100, quanto ela achar que o espetáculo vale”, esclareceu Marcelo. 

Estreando o espaço, o diretor e ator, Anderson Bosh, juntamente com os atores Douglas Moreira e Edner Gustavo, deram vida aos personagens de ‘Uma Moça na Cidade’ — falamos sobre a história desse espetáculo no TeatrineTV, acesse AQUI

Douglas Moreira dá vida a Ambrosina 2, no espetáculo Uma Moça da Cidade. Foto: Tero QueirozDouglas Moreira dá vida a Ambrosina 2, no espetáculo 'Uma Moça da Cidade'. Foto: Tero Queiroz

Na ocasião, os atores renunciaram aos cachês. Toda quantia que for arrecadada ao longo da temporada será revertida para a adequação do novo espaço. “Foi uma decisão coletiva. O Marcelo até ficou meio receoso na hora de nos convidar, mas decidimos assim quando a situação foi colocada. É lindo ver esse espaço aberto e a gente estreando-o, foi especial demais hoje”, comentou o ator, Douglas Moreira, que já interpreta os personagens de “Uma Moça da Cidade” há 5 anos.

A cada dia das apresentações da Temporada, será recebido o limite de 30 pessoas de público.

A lotação de 30 pessoas a cada cessão respeita a distância em razão da pandemia. O teatro disponibiliza álcool gel na entrada. Foto: Tero QueirozA lotação de 30 pessoas a cada cessão respeita o distanciamento em razão da pandemia. O teatro disponibiliza álcool gel na entrada e o público deve estar usando máscaras de proteção individual. Foto: Tero Queiroz

Marcelo explicou que a decisão de assumir o espaço que consiga receber público é inédita para o Grupo. “Aberto para a cidade é a 1ª vez, já tivemos espaço de ensaio, mas aberto assim, para receber público não...", analisou.

Público posa para foto ao lado dos atores ao final do espetáculo "Uma Moça da Cidade". Foto: Tero QueirozPúblico posa para foto ao lado dos atores ao final do espetáculo "Uma Moça da Cidade". Foto: Tero Queiroz

Campo Grande, apesar de ser uma Capital, não tem nenhum teatro público aberto aos artistas e a população. Para Marcelo, inaugurar neste cenário é um ato de resistência. "Porque a gente está sem espaço para os grupos locais. Alguns grupos que tinham espaço fecharam e a gente se viu saindo de uma pandemia, querendo fazer teatro, querendo receber o público, com um governo que não é favorável a arte, com editais também não tão favoráveis as artes... e situação dos eventos, todos cancelados [em razão da pandemia]. Então, a gente viu uma necessidade de o grupo resistir, existir, colocar nossas exibições em cartaz. Convidamos outros grupos que estavam como a gente, sem apresentar e transformar isso daqui num espaço de ensaio, num espaço de apresentação, num espaço de 'arte-cultura', com muita música, teatro, dança, cinema, tudo que a gente puder agregar aqui, para isso que servirá esse espaço. É um espaço da cidade. O Fulano Di Tal administra um espaço que a cidade vai poder usar”, destacou.   

Equipe do espetáculo "Uma Moça da Cidade", posa para foto com Marcelo Leite, diretor e gestor do espaço do grupo Fulano Di Tal. Foto: Tero QueirozEquipe do espetáculo "Uma Moça da Cidade", posa para foto com Marcelo Leite, diretor e gestor do espaço do grupo Fulano Di Tal. Foto: Tero Queiroz

O diretor ainda falou sobre a estrutura técnica do local e convidou empresários e a população em geral, para ajudar nesta etapa de adequação. “Quem quiser nos ajudar, estamos no Instagram, redes, podem vir aqui também e ver nossa realidade. Aceitamos tudo que puderem nos oferecer de apoio", disse. 

Em frente ao espaço do Fulano de Tal, público faz a colaboração espontânea após o espetáculo "Uma Moça da Cidade". Foto: Tero QueirozEm frente ao espaço do Fulano de Tal, público paga ingresso espontâneo após o espetáculo "Uma Moça da Cidade". Foto: Tero Queiroz

A entrada do espaço ainda precisa ser iluminada e personalizada.  "Desde a nossa entrada, da fachada, queremos pôr um letreiro lá com o nome Fulano Di Tal, pôr um ar-condicionado, iluminação – principalmente, essas coisas técnicas são as mais pesadas. Mas também precisamos de cadeiras, por exemplo... neste momento podemos fazer permutas, caso haja essa possibilidade. Será muito bem-vinda qualquer ajuda”, finalizou ele.  

O espaço do Fulano Di Tal ficará aberto sempre durante as manhãs e tardes, de segunda a segunda. À noite também estará aberto, momento em que devem acontecer as apresentações artísticas ou ensaios.  

A TEMPORADA E OS ESPETÁCULOS

Em destaque nessa  foto o ator Edner Gustavo. Ele dá vida a Ambrosina 1. Foto: Tero QueirozEm destaque nessa  foto o ator Edner Gustavo. Ele dá vida a Ambrosina 1. Foto: Tero Queiroz

Ontem e hoje (6.mar.22) foi exibido o espetáculo ´Uma Moça na Cidade´, do Grupo UBU, que conta a saga de ´Ambrosina´, uma jovem do interior que se aventura na cidade grande em busca de liberdade, sonhos, loucuras e amores. O espetáculo nasceu dos Prêmios Encena Brasil 2001 e 2002 – Funarte e completa 22 anos de existência, marcado por uma trajetória de sucesso de público e recorde de temporada. No elenco apresentaram-se, na ocasião: Anderson Bosh, Douglas Moreira e Edner Gustavo.

Edner Gustavo e Douglas Moreira posam para a foto de divulgação do espetáculo ´A Fabulosa História do Guri-Árvore´. Foto: Vaca Azul Edner Gustavo e Douglas Moreira posam para a foto de divulgação do espetáculo ´A Fabulosa História do Guri-Árvore´. Foto: Vaca Azul 

Seguindo a programação da Temporada Popular de Teatro, será exibido no sábado (12.mar) e domingo (13.mar) o espetáculo ´A Fabulosa História do Guri-Árvore´. No enredo, a partir de um amontoado de coisas desúteis, os irmãos Abílio (Douglas Moreira) e Palmiro (Edner Gustavo) iniciam uma viagem por uma terra estranha. Fuçando nos objetos espalhados pelo quintal, eles encontram uma Geringonça Desreguladora de Memórias, que dá início a contação dessa fabulosa história. Através do lúdico e por meio do teatro de animação (objetos, bonecos e sombras), pantomima e da palhaçaria, são contadas histórias do nosso quintal utilizando também o Fazedor de Imaginanças.

Junto aos personagens principais, se fazem presentes o vovô Manoel de Barros, Bernardo, Bugrinha (Conceição dos Bugres), a Professora Maria da Glória Sá Rosa, Lídia Baís, Wega Nery e, na trilha, as composições feitas especialmente para o espetáculo pelo músico e ator Ewerton Goulart. A classificação é livre.

Os atores do espetáculo "Do Bem Amado": Douglas Moreira, Edner Gustavo, Ewerton Goulart (também faz a direção musical), Fernando Lopes Lima e Marcelo Leite. Foto: Vaca AzulOs atores do espetáculo "Do Bem Amado": Douglas Moreira, Edner Gustavo, Ewerton Goulart (também faz a direção musical), Fernando Lopes Lima e Marcelo Leite. Foto: Vaca Azul

Por último, no sábado (19.mar) e domingo (20.mar) serão as cessões ´Do Bem Amado´, que conta a história de Odorico Paraguaçu, prefeito da cidade de Sucupira do Sul, que tem como principal meta de governo a inauguração de um cemitério municipal. Com o apoio das irmãs Cajazeiras Dorotéa, Dulcinéa e Judicéa (com as quais o político mantém relações muito próximas), a ajuda de seu secretário Dirceu Borboleta, a oposição de Neco Pedreira (dono do único jornal da cidade) e com os conselhos do Vigário da cidade, o prefeito Odorico precisa encontrar um meio para conseguir realizar sua meta.

O espetáculo é livremente inspirado na famosa obra "O Bem-Amado" de Dias Gomes. No palco apresentam-se Douglas Moreira, Edner Gustavo, Ewerton Goulart (também faz a direção musical), Fernando Lopes Lima e Marcelo Leite. Nesta montagem a trilha sonora é executada pelos atores em cena que tocam e cantam ao vivo.

SERVIÇO

A ´Temporada Popular de Teatro – Edição Março´, acontece nos dias 05, 06, 12, 13, 19 e 20 de março, sempre às 20 horas, no espaço Fulano di Tal, que está localizado na rua Rui Barbosa, 3099, centro; entre as ruas Marechal Rondon e Maracaju, em frente a OI. 

Mais informações pelo Facebook, Instagram, site www.fulanodital.com.br ou pelo telefone/whatsapp (67) 98111-4177.