30 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 24º

Tornozeleira eletrônica

Sara Winter pode deixar presídio com tornozeleira eletrônica

Poder Judiciário decidirá se ela usará o dispositivo, na tarde desta quarta-feira

A líder do grupo extremista ‘300 do Brasil’, Sara Fernanda Giromini, mais conhecida como Sara Winter, está presa há dez dias e pode deixar a unidade prisional com uma tornozeleira eletrônica.

Conforme apurou o Metrópoles, o caso está sob análise do Poder Judiciário, que decidirá na tarde desta quarta-feira (24), se a líder do movimento irá usar o dispositivo enquanto estiver em liberdade. Alexandre Moraes, Ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), é o responsável pela análise do caso. Sara foi detida durante desdobramentos da Operação Lumus, que investiga atos antidemocráticos contra ministros do STF.

Ela é investigada pelo Ministério Público por ameaçar Moraes nas redes sociais. Sara disse que ‘transformaria a vida do ministro em um inferno’, após ser incluída no inquérito das fake news.

Além de Sara, outra integrante do grupo, que também está presa na Colmeia, Érica Viana, poderá deixar a prisão com a tornozeleira. Outros cinco integrantes têm o caso sob análise do STF.