20 de outubro de 2020
Campo Grande 30º 21º

SAÚDE

Saúde e Defesa visitam local que receberá brasileiros vindos da China

Ministros Luiz Henrique Mandetta e Fernando Azevedo e Silva conhecem as instalações da Base Aérea de Anápolis (GO) que vão acomodar os brasileiros repatriados de Wuhan, epicentro do coronavírus

Nesta sexta-feira (7), os ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, conhecem as instalações da ALA 2, da Base Aérea de Anápolis (GO). As autoridades participarão de um briefing com detalhamento sobre a infraestrutura do local assim como as instalações destinadas aos brasileiros que retornarão de Wuhan, na China, epicentro dos casos confirmados do novo coronavirus.

Dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) decolaram para buscar os brasileiros em Wuhan nesta quarta-feira (5/2). A previsão é chegar à cidade chinesa nesta sexta-feira (7/2). O retorno está previsto para sábado (8/2). Os brasileiros que retornarem de Wuhan, na China, vão precisar passar por um período de quarentena. Durante o período de isolamento na base aérea de Anápolis (GO), as pessoas precisarão passar por exames periódicos. Caso apresente sintomas, o atendimento e o tratamento serão realizados no Hospital das Forças Armadas, em Brasília (DF).

O ministro da Saúde, Luis Henrique Mandetta, elogiou a ação de repatriacao encabeçada pelo Ministério da Defesa e reforçou que as pessoas estarão em boas mãos, com todos os cuidados necessários para que, dentro de alguns dias, possam seguir suas vidas.

"Nós temos que acalmar as pessoas. O que mais atrapalha nesses momentos são as fake news. Elas trazem medo e desinformacao. Todas as informações são 100% transparentes. São brasileiros e precisam do nosso apoio nesse momento."

LEI SANCIONADA

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou a Lei nº 13.979, que dispõe sobre medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus. A lei impõe regras e prevê ações como isolamento, quarentena e fechamento de portos, rodovias e aeroportos para entrada e saída do Brasil, em casos específicos que coloquem em risco a segurança em saúde dos brasileiros.

A iniciativa foi proposta após a decisão do Governo Federal de repatriar os brasileiros que estão em Wuhan, na China, que demonstraram intenção de retornar ao Brasil. O Ministério da Saúde elevou, por meio da Portaria nº 188, o nível de resposta para Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN), mesmo sem caso confirmado no Brasil.

REUNIÃO COM O PRESIDENTE

Os ministros da Saúde e da Defesa, Luiz Henrique Mandetta e Fernando Azevedo, também se reuniram com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, para tratar da Operação Regresso à Pátria Amada Brasil. O evento ocorreu na sede do Ministério da Defesa e contou com a presença de autoridades militares e civis.

Para tranquilizar os brasileiros e principalmente a população que vive em Anápolis, Bolsonaro reforçou que o risco de trazer o novo coronavírus ao Brasil são muito baixos. "Não existe qualquer risco para terceiros aqui no Brasil", declarou Bolsonaro.

Hoje, por volta das 10h15, horário de Brasília, as duas aeronaves da FAB escaladas para a missão decolaram da cidade de Urumqi, último pouso antes da chegada em Wuhan, na China. A previsão dos dois aviões pousarem é 13h30. 

Devem embarcar de volta 34 brasileiros, incluindo seus parentes, além de 12 profissionais de saúde da FAB, dois médicos do Ministério da Saúde, dois jornalistas e oito tripulantes.

QUARENTENA EM ANÁPOLIS

O prédio que vai abrigar os brasileiros repatriados passaram por adequações e melhorias para garantir a segurança de todos os envolvidos. O hotel de trânsito, usado normalmente pelos militares em viagens, tem 38 suítes equipas com TV, internet, frigobar, ventilador, telefone e ar condicionado. Na parte de fora será criado um espaço de lazer e entretenimento para crianças e adultos.

Caso algum repatriado apresente sintomas do novo coronavírus durante o período da quarentena, que é de 18 dias, a pessoa será encaminhada para um setor isolado. Caso os sintomas persistam, haverá transporte de helicóptero ao Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, local onde serão aplicados os protocolos indicados para a situação.