27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

MUSIC FOOD

Sectur anuncia ação com setor privado que visa contratar 44 atrações musicais

As contratações serão feitas por empresários. Secretário explica que os artistas também serão selecionados por eles

A secretaria de Cultura e Turismo (Sectur) de Campo Grande vai lançar no dia 17 de setembro o projeto Music Food - A Música que alimenta. Conforme o secretário Max Freitas, trata-se de um projeto de assessoria da secretaria ao setor privado. No projeto serão contratados 44 músicos/bandas de Campo Grande que realizarão apresentações. "É um evento da Feira Central, com a Secretaria de Cultura e Turismo de Campo Grande e com o Governo do Estado".  

Parte do cachê será custeado por patrocinadores. Prefeitura e Governo vão entrar com estrutura de som e palco. Segundo Max, os empresários é quem escolherão os artistas com cadastro de credenciamento junto a secretaria.

"O objetivo é movimentar a classe artística, nesse momento a musical. Lógico que futuramente pretendemos abranger outras classes", esclareceu.  

Segundo o secretário, também serão seguidas todas as regras de decreto municipal que prevê distanciamento, aferição de temperatura em decorrência do Coronavírus, durante apresentações.  

Em edição extra do Diário Oficial desta 3ª-feira (15.set) o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad afrouxou as regras estabelecidas para conter o avanço do novo Coronavírus na Capital. O toque de recolher passa a ser da meia-noite às 5h, a partir de amanhã 4ª-feira (16.set.2020), e vigora até dia 30 de setembro.

O decreto estabelece também novas regras para o funcionamento de cinemas, clubes, shows, boates e outros estabelecimentos similares na Capital.

À reportagem, Max esclareceu que não trata-se de contratação que está sendo paga pela prefeitura e sim com recursos do setor privado. "A prefeitura não está fazendo contratações, devido ao decreto, que visa a diminuição dos gastos, devido a pandemia. E também estamos no período eleitoral. Tudo que estamos procurando fazer pela classe cultural e pela classe do turismo é através de inciativas privadas, para que não pare e sim retome, essa classe que está sendo tão judiada", explicou.  

Em um grupo de mensagens, músicos que questionaram a seleção dos contemplados dizem terem sido removidos. O MS Notícias ocultou o nome dos participantes, visto que tratava-se de uma mensagem em grupo privado da classe.  

Quanto aos gêneros musicais à serem contemplados na ação da Sectur e Governo, Max esclareceu que foram pedidos pelos próprios empresários participantes, gêneros diversificados. "Nós fizemos uma relação de músicos que já foram credenciados pela Sectur... A união dos músicos também enviou alguns nomes, mas escolha final será feita pelo patrocinador. A relação alcança todos o gêneros. O próprio setor privado quer os gêneros diferentes... Tivemos pedidos de Rock, Samba, Sertanejo, até de Gospel", finalizou Max.